terça-feira , 23 outubro 2018

Ex-vereador de São Fidélis e mais quatro pessoas continuam foragidas da operação ‘Amicus Curiae’ Operação investiga fraudes de licitações e dispensas ilegais na Câmara Municipal de Vereadores de São Fidélis

Operação investiga fraudes de licitações e dispensas ilegais na Câmara Municipal de Vereadores de São Fidélis

Fotos: SF Notícias

Cinco pessoas ainda continuam foragidas da segunda fase da operação ‘Amicus Curiae’, que investiga fraudes de licitações e dispensas ilegais de licitações dentro da Câmara Municipal de Vereadores de São Fidélis. A segunda fase da ação foi deflagrada na madrugada do dia 30 de março, quando foram cumpridos nove mandados em Itaocara, quatro em Aperibé, dois em Niterói, dois em Pirapetinga (MG) e dois em São Fidélis, além de um na sede do Instituto Vida e Saúde (Invisa), em Santo Antônio de Pádua.

Os foragidos são; o ex-vereador e presidente da Câmara Municipal de Vereadores de São Fidélis, Marcos Antônio de Magalhães Gonçalves, conhecido como “Marcão”, o diretor financeiro da Invisa, Rummenigue Dias Rosa, os advogados e servidores públicos da Prefeitura de Aperibé, Raphael Lima Barcelos e Pedro Paulo Bastos da Silva e o servidor público de Aperibé, Lídio Antônio Luz Pereira. Cerca de 16 funcionários da Câmara de São Fidélis também foram denunciados, mas nesse momento, não foram expedidos mandados contra eles.

Marcão já havia sido preso na primeira fase da operação realizada no ano passado. O ex-vereador de Itaocara, Michel Ângelo Machado de Freitas, que também já havia sido preso na primeira fase, se entregou à Polícia Civil horas após a operação deflagrada no mês passado. O engenheiro e diretor do Instituto Vida e Saúde (Invisa) de Santo Antônio de Pádua, Denner Ornelas Cortat, também se entregou à polícia após a segunda fase da operação.

Após a operação, o Invisa divulgou uma nota dizendo que os diretores e coordenadores estão se resguardando de prestar quaisquer informações em relação a ação penal, considerando que o pedido de vista do processo feito pelos advogados do Instituto foi negado pelo ilustre juiz da primeira Vara de São Fidélis, Dr. Márcio Roberto da Costa. A nota diz ainda que eles não foram encontrados em suas residências visto que estão viajando à trabalho.

Veja todos os detalhes da segunda fase da operação AQUI.


Mais do SFn