1

Fidelense vai cursar Engenharia Civil na Universidade de Coimbra, em Portugal

2
Fotos: Matheus Berriel

São Fidélis terá mais um estudante em solo europeu. O jovem Elias Oliveira Romualdo da Silva, de 18 anos, que estava cursando Engenharia Civil na Universidade Estadual Norte Fluminense, em Campos dos Goytacazes, vai estudar na Universidade de Coimbra, em Portugal. Ele também foi aprovado para outras duas Universidades portuguesas, a de Beira Rio e a de Algarve, e várias no Brasil (PUC-Rio, UENF, UFES, UFBA e PUC Minas), mas preferiu a de Coimbra por tê-la como uma grande referência dentro de sua área específica

– Eu passei pelo próprio processo seletivo da unidade, com a nota do ENEM, que eles aceitam. Pouca gente sabe, mas algumas universidade de fora do Brasil aceitam as notas do ENEM. Como eu tive uma boa nota de matemática, eles aceitaram a minha nota. Eu vou cursar o mestrado e o integrado em Engenharia Civil nos próximos cinco anos. – contou.

Elias cursou o Ensino Fundamental no Colégio Estadual Barão de Macaúbas, em São Fidélis, e se formou no Ensino Médio no Instituto Federal Fluminense, concomitante com o curso técnico em Edificações, formação que serve como uma experiência de base para os próximos desafios acadêmicos. Ele conta que tem uma boa expectativa de adaptação em Portugal, mas sabe que, como sempre teve, continuará tendo desafios para superar.

– Serão, pelo menos, cinco anos lá, muita coisa pode acontecer. Eu não sei o que vai se proceder nestes cinco anos. Minha expectativa é na área da pesquisa, desenvolver novas tecnologias na área da engenharia civil, novos equipamentos, entre outras coisas. Na vida, a cada dia, você tem novas barreiras para enfrentar. A cultura lá é, de fato, um pouco parecida, mas tem várias coisas diferentes, ficar longe da sua casa é uma coisa que te faz crescer, se tornar independente. Eu tenho que fazer as coisas, não vou ter minha mãe perto, então vai ser uma responsabilidade grande. Vou morar no alojamento da faculdade, e aumenta a responsabilidade. – disse Elias, que provou sua capacidade para muitas pessoas que duvidaram.

3
Mãe de Elias se emocionou ao ouvir o filho dando a entrevista

– Eu sempre estudei em escola pública, e as vezes duvidaram de mim, falaram que eu não ia conseguir. Mas o mundo é muito grande. As vezes a gente se limita a determinados espaços e acha que é só aquilo. Mas isso depende muito de cada um. Se você acreditar, de fato, e quiser alguma coisa, você vai correr atrás. Não vai ser fácil, não é fácil, a pessoa as vezes fica desanimada mas, se você tem um sonho, nada vai te tirar esse sonho. Eu falo que duas pessoas influenciam na realização do seu sonho: A primeira é você, porque se você quiser, você vai conseguir. E a segunda também é você, porque se nem você acreditar em si mesmo, nada vai acontecer. Você pode ser a melhor ou a pior pessoa para você mesmo. – ressaltou.

Com viagem marcada para o início de setembro, Elias já está tendo que começar a ver a vida com novos olhos. Lidar com a distância da família é um processo visto como complicado, mas que será necessário para um amadurecimento. A paixão pela Engenharia, segundo ele, vem da infância, e servirá como estímulo para passar esse tempo fora do Brasil.

– Eu sempre achei admiráveis aqueles prédios imensos de cidades grandes, sempre achei muito interessante. Têm muitas construções como obras de artes, túneis, e eu sempre me interessei em como fazer isso. Desde os 10 anos eu comecei a gostar dessa área. No início minha mãe falava que eu não ia (para Portugal), achava que era brincadeira. Mas quando comecei a ver a documentação ela passou a aceitar, viu que eu vou mesmo, começou a chorar. Agora ela está aceitando melhor, porque entendeu que a vida é assim: a mãe cria, mas um dia o filho sai de casa. Se não fosse agora, talvez seria quando eu fosse casar. Uma hora eu ia sair, e ela está aceitando melhor, pelo meu futuro. – disse Elias, que lembrou de agradecer à pessoas que consideram importante em sua caminhada até agora.

4
Foto: Universidade de Coimbra. | reprodução

– Conquistas nunca são feitas sozinho. Minha mãe sempre disse para eu estudar. Ela me deu opções de estudar ou trabalhar, e eu escolhi estudar. Ela sempre me deu as oportunidades. Outro que me ajudou foi o Pastor Levy, da Igreja Jardim do Senhor, que incentiva os jovens a estudar, a crescer. No Barão eu tive grandes professores, e destaco duas, que são Soraya Matilde, professora de geografia, que disse que 70% da minha educação depende de mim, e os outros 30% depende dos professores, e a outra é a professora Dayane dos Santos, que me deu aula de história na sétima série e me fez pensar de uma forma diferente, me ajudou a buscar novas leituras, novas formas interessantes de ler e estudar. Eu acho que elas vão ficar muito surpresas e felizes com a minha aprovação (para a Universidade de Coimbra). Quero agradecer à todas as pessoas que sempre me apoiaram. Sabemos que não é fácil um estudante de escola pública poder sonhar alto, alguns falam que é impossível, mas minha mãe sempre acreditou em mim, e hoje eu estou podendo retribuir. Agradeço muito a ela e aos meus amigos. Agora estou indo para uma grande universidade. – finalizou.

Para quem quiser ajudar com os custos de viagem, estudo e moradia de Elias em Portugal, ele disponibilizou uma conta bancária. Agência: 0454-5 | Conta: 24.764-2 | Variação: 51

 

 

SFn