terça-feira , 20 novembro 2018

Fidelenses participam do NASA Space Apps e projeto de sensor para Marte vence em etapa de Campos Foram 24 horas acordados desenvolvendo o projeto e agora eles têm a chance de visitar o Centro Espacial nos EUA através do julgamento global

Foram 24 horas acordados desenvolvendo o projeto e agora eles têm a chance de visitar o Centro Espacial nos EUA através do julgamento global

Fotos: Divulgação

Dois fidelenses participaram neste final de semana do Nasa Space Apps, o hackathonglobal anual da NASA, evento que reúne pessoas empreendedoras, apaixonadas por tecnologia e sustentabilidade para uma maratona de programação, prototipagem e colaboração. A dupla e mais quatro estudantes conquistaram o primeiro lugar na etapa de Campos.

Durante o evento, a NASA e seus parceiros lançam desafios relacionados a questões atuais, para as quais entusiastas do espaço em todo o mundo podem desenvolver soluções inovadoras. Ao SF Notícias, a fidelense Luana Menezes, de 21 anos, explicou o projeto criado pelo grupo Sirius. 

Segundo ela, a equipe desenvolveu um sensor de danos para Marte (NASA planeja enviar humanos ao planeta na década de 2030), que pode ser usado nos trajes ou nas naves acusando os danos causados pela atmosfera do planeta vermelho, que tem tempestades de areia e radioatividade. Com isso, o problema pode ser resolvido com rapidez.

O hackathon teve início na manhã do sábado no IFF Campus-Guarus. Os desafios foram lançados pela NASA e as equipes tiveram 24 horas para desenvolver os projetos. Eles ficaram no local até o encerramento, no final da tarde de domingo. Os projetos foram enviados para a coordenação internacional do Space Apps na NASA e as apresentações transmitidas ao vivo para todo o mundo. O projeto do sensor e mais um do Rio foram selecionados na etapa estadual.

Agora, Luana, o fidelense Gelbis Martins, Marcelo Cabral, Nathannael Ebrenz, Isabel Cristine e Gabriel Melsert, aguardam o julgamento global. Eles criarão um pequeno vídeo sobre o projeto, e os juízes da NASA selecionarão os finalistas globais a partir das centenas de submissões que receberão. Caso seja selecionado, o grupo irá para os Estados Unidos, visitar o Centro Espacial da Nasa.


Mais do SFn