Final de ano não terá horário de verão pela primeira vez em 34 anos O objetivo do horário de verão é economizar energia elétrica, mas segundo alguns especialistas, a medida já não traz muita efetividade

O objetivo do horário de verão é economizar energia elétrica, mas segundo alguns especialistas, a medida já não traz muita efetividade

Foto: Reprodução

Muitos vão sentir falta e outros não. O fim do horário de verão ainda divide a opinião de moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, que já estariam se preparando para alterar o relógio. Em vigor desde 1985, o horário de verão foi cancelado em 2019 através de um decreto assinado em abril pelo presidente Jair Bolsonaro. Naquele mês, em um café com jornalistas, o presidente disse que, para o futuro, a tendência é que a mudança nos relógios seja eliminada do calendário do país. (continua após a publicidade)

O objetivo do horário de verão é economizar energia elétrica, mas segundo alguns especialistas, a medida já não traz muita efetividade. No horário de verão, moradores dos estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste adiantavam o relógio em uma hora, retardando o início da noite e o acionamento de lâmpadas. Se tivesse sido mantido este ano, o horário iria começar no dia 3 de novembro e terminar no dia 15 de fevereiro de 2020. Adotado para aproveitar a iluminação natural no fim da tarde, quando o consumo de energia é mais alto, o horário de verão era também impopular: a falta de luz solar nas primeiras horas do dia, dificultava a vida de trabalhadores e estudantes. Pesquisa do DataSenado, entre outras, apontaram em 2018, que a maioria dos consultados queria o fim da medida.

Fonte: SF Notícias / Senado Notícias

Mais do SFn