segunda-feira , 25 março 2019

Friburguense bate o Barra Mansa e vence sua primeira partida no carioca

Fotos e Fonte: Friburguense
Fotos e Fonte: Friburguense

Um Friburguense organizado, consciente e com opções no  banco de reservas teve uma boa atuação e conquistou a primeira vitória do Carioca 2015. O time  contou com as participações decisivas de Tufy e Thalles para com o placar de 2×1 vencer o Barra Mansa. A dupla saiu do banco de reservas no segundo tempo para desempatar a partida, e dar a vitória ao Frizão. A partida aconteceu na tarde deste domingo no estádio Raulino de Oiveira, e foi válida pela terceira rodada do estadual. Na próxima quarta-feira, o Friburguense recebe o Tigres, às 19h30, no estádio Eduardo Guinle em Friburgo.

Frizão domina primeira etapa

A confirmação do retorno de Ziquinha ao time titular do Friburguense foi a certeza de que  técnico Gerson Andreotti planejava ter a velocidade como arma para surpreender o Barra Mansa. As primeiras tentativas foram exatamente pelo lado direito, mas foi no lançamento preciso de Sergio Gomes para Jorge Luiz que o Frizão teve a primeira boa chance. O camisa 10 tentou a jogada individual, mas ficou preso à marcação e acabou desarmado. Mais bem arrumado e com posse de bola, o Tricolor da Serra insistiu nas tentativas dos passes longos. A partir de uma deles, começou a jogada que originou no cruzamento de Caíque. Ziquinha não alcançou a bola, e apenas protegeu para a chegada de Sergio Gomes. O lateral levantou com precisão e Jorge Luiz escorou para abrir o placar aos sete minutos. O Barra Mansa, a partir de então, buscou mais o ataque e ofereceu espaço para a velocidade do Friburguense nos contra golpes. Aos 13, Ziquinha foi lançado e por muito pouco não chegou antes de Thiago Leal. Pouco depois, Jorge Luiz conseguiu dominar o passe de Felipe, mas não conseguiu ajeitar o corpo para bater e acabou desarmado.

De fato, era um Friburguense que lembrava os melhores momentos do jogo contra o Fluminense. Seguro e com marcação encaixada, trocava passes com tranquilidade e demonstrava segurança nas ações. O Barra Mansa ameaçou de fato aos 19, quando bateu cruzado e Sergio Gomes afastou. Logo no lance seguinte, Jorge Luiz arrancou do meio-campo, colocou entre as pernas do marcador e deixou caíque na cara do gol. O centroavante finalizou em posição irregular. O time da casa, se não conseguia criar, ao menos tentava o empate na base da empolgação. Foi assim que, aos 29 minutos, um bate rebate seguido pela dividida entre Cadão e Kaike terminou em finalização perigosa à esquerda de Marcos. Tanto quanto a cobrança de falta de Rômulo, aos 33, por cima da meta. Com o jogo sob controle, o Friburguense levou apenas um susto, quando Caíque arriscou e Marcos defendeu com dificuldades. Antes do intervalo, deu tempo para mais um belo contra ataque, onde com apenas quatro toques, o Frizão finalizou: Sergio Gomes lançou, Ziquinha foi ao fundo e rolou para Jorge Luiz bater com perigo para fora. Retrato de um Friburguense organizado e preciso na primeira etapa.

 

Banco de reservas decide

Ao logo as equipes desceram para os vestiários, um verdadeiro dilúvio teve início em Volta Redonda. E prosseguiu quando a bola rolou para o segundo tempo. O gramado escorregadio fez Caíque, do Friburguense, assustar aos médicos. Após dividir com Carlão, o atacante abriu demais as pernas ao deslizar e teve que ser substituído por Thalles. O jogo ficou mais pegado, e talvez o excesso de disposição em alguns lances tenha prejudicado o capricho na hora do passe. Foram muitos erros, especialmente por parte do Barra Mansa. No entanto, o erro mais grave foi do Friburguense aos oito, proporcionando contra ataque para o time da casa. No entanto, Vitinho exagerou na força na hora do cruzamento e desperdiçou boa oportunidade. O Barra Mansa viveu, a partir de então, o melhor momento na partida. Pouco depois, Audren foi ao fundo e rolou. A bola cruzou perigosamente toda a extensão da área de Marcos. Aos 18, Rafael Laurenço não conseguiu o domínio em levantamento de Vitinho. O técnico Gerson Andreotti percebeu o bom momento e optou por reforçar a marcação, promovendo a entrada de Zé Victor. Quando marcou à frente, o camisa 15 conseguiu roubar de Vitinho e ajeitar para Jorge Luiz. A tentativa de fora da área não teve a direção do gol.

A chuva diminuiu após o tempo técnico. E o ritmo do Barra Mansa também. A cada erro de passe – não foram poucos – a torcida expressava insatisfação. Fechado, o Friburguense esperava o contra ataque para tentar marcar o segundo gol. Se antes Andreotti havia reforçado a marcação, aos 27 o comandante sentiu que poderia arriscar um pouco. Desta forma, mandou Tufy a campo. Entretanto, em uma cobrança de escanteio aos 30, Diogo subiu mais que a defesa para empatar. Não demorou para o Frizão reagir, e com a participação de Tufy. O meia desarmou bola no meio campo e acionou Thalles na grande área. Com tranquilidade, o atacante dominou, tirou a marcação e bateu cruzado de perna esquerda para recolocar o Tricolor da Serra à frente no placar. O Barra Mansa ainda chegaria ao ataque algumas vezes, explorando principalmente a bola aérea. Nos últimos dois escanteios, o goleiro Thiago Leal foi à grande área. Mas a tarde era azul, vermelha e branca em Volta Redonda.


Mais do SFn