quinta-feira , 23 novembro 2017

Gigante pela natureza morrendo pela ação do homem

Rio Paraíba do Sul foto Vinnicius Cremonez 1
Fotos: Vinnicius Cremonez / Márcia Rogéria / Reprodução

Um dos mais importantes rios da região sudeste do Brasil e o mais importante do estado do Rio de Janeiro, um gigante pela sua própria natureza, está morrendo pelas ações do homem, que contribui para a sua pior seca da história.

Considerando sua nascente mais afastada da foz, o rio Paraíba do Sul nasce na Serra da Bocaina, no Estado de São Paulo, com o nome de Rio Paraitinga, recebendo o nome rio Paraíba do Sul na confluência com o Paraibuna, na Represa de Paraibuna. Perfaz um percurso total de 1.137 km , desde a nascente do rio Paraitinga até a foz em Atafona, litoral de São João da Barra, no Norte Fluminense, abastecendo os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

A bacia do rio Paraíba do Sul tem uma área de 56.500 km², abrangendo não só as regiões do Vale do Paraíba Paulista e Fluminense, mas também o Noroeste Fluminense e grande parte da Zona da Mata Mineira. O território da bacia banha 88 municípios em Minas Gerais, 57 no Rio de Janeiro e 39 em São Paulo.

rio cheioAtualmente, somente dois trechos do Paraíba do Sul podem ser navegados: o trecho inferior e o médio superior. O trecho inferior, entre a foz e São Fidélis, mas isto pode estar com os dias contatos, já que a maior parte do leito do Paraíba entre a foz e São Fidélis, está secando.

Responsável por grandes enchentes em toda a região, o Rio Paraíba não é mais o mesmo, e vai demorar a voltar o que era há alguns meses atrás. Em vário pontos em São Fidélis que é o município onde a situação é a mais crítica, é possível atravessar o rio com água na calena, e em outros pontos, a água deu lugar as pedras.

seca-rio-2-cortada

Rio Paraíba do Sul foto Vinnicius Cremonez 5Para o historiador ambiental e ambientalista Arthur Sofiatti, a seca é fruto das mudanças climáticas globais provocadas pelas atividades humanas depois da Revolução Industrial, que começou na Inglaterra no final do século XVIII e se espalhou por todo o planeta direta e indiretamente. Segundo Arthur essas mudanças foram constatadas por cientistas de todo o mundo trabalhando na Organização das Nações Unidas(ONU).

Ainda de acordo com o historiador ambiental e ambientalista, os cientistas das universidades da região Norte Fluminense têm medo de reconhecer as mudanças climáticas para não perder prestígio.

rio antes 1“A seca decorre também do desmatamento da Amazônia, que controla as chuvas na Região Sudeste. Por fim, a seca decorre do desmatamento da Bacia do Paraíba do Sul, tanto o rio como seus afluentes”, disse Arthur.

Arthur citou a diferença de São Fidélis entre 1815, quando o naturalista alemão Maximiliano de Wied Neuwied visitou a “cidade poema” (Foto ao lado) e quando o francês Charles Ribeirolles também visitou o município em 1850(Foto abaixo), mostrando como a margem do Rio Paraíba do Sul foi desmatada na cidade.

rio antigo 3

“Os meteorologistas afirmam que esta é a pior seca da Região Sudeste em 80 anos. Afirmo que esta é a pior seca de todos os tempos, pois os registros meteorológicos começaram há 80 anos”, concluiu Arthur.

Outra ação do homem, o despejo de esgoto sem tratamento, também está matando o nosso rio.  Após receber fotos de leitores, no dia 20 de maio deste ano o São Fidélis Notícias publicou uma matéria mostrando que esgoto estava despejado no Paraíba do Sul sem tratamento, e o pior, sendo lançado ao lado da central de captação da água que é direcionada as residências do município.

Nossa equipe mostrou as fotos durante uma entrevista ao ambientalista Aristides Sofiatti que confirmou que se trata de esgoto que está sendo lançado no rio. A única dúvida do ambientalista é em qual nível esse esgoto foi tratado, sendo em bruto, primário ou secundário, pois se fosse em nível terciário, a água sairia limpa.

ESGOTO-2Diante dessa situação o Site São Fidélis Notícias entrou em contato com o Instituto Estadual do Ambiente(INEA) e encaminhou a foto e a denúncia para o órgão, que ficou de mandar uma equipe até o município para averiguar a informação.

Em São Fidélis, algumas ações já foram tomadas para não prejudicar o abastecimento de água.

A concessionária responsável pelo abastecimento de água em São Fidélis, a CEDAE, desceu a válvula de capitação em 5cm para não prejudicar o abastecimento. Ainda de acordo com a CEDAE, com a redução da altura da válvula, o nível do rio pode abaixar por mais 10cm que não irá prejudicar o abastecimento nas casas.

rio seca 1Na localidade de Angelim a prefeitura teve que fazer intervenções, onde usou uma retroescavadeira para retirar terra e aprofundar a área de capitação da água que abastece aquela comunidade.

Através do decreto nº 3.181. de 30 de setembro de 2014, a Prefeitura Municipal de São Fidélis decretou situação de emergência nas áreas do município afetadas pela estiagem, considerando que a forte estiagem no município, afetou cerca de 80% da extensão rural afetadas desde junho.

Segundo superintende Cláudio Luiz, as secretarias possuem um prazo de dez dias, ou seja, até terça-feira enviar todos os documentos para a União, que por sua vez, possui um prazo de 180 dias para reconhecer o decreto do município.

“Isso não quer dizer que vai demorar. Diante da situação crítica do município, o reconhecimento pode sair em um dia. Nasci e fui criado em São Fidélis, e nunca presenciei isso em nossa cidade” disse Cláudio.

rio paraíba do sul 35


Mais do SFn