quarta-feira , 16 janeiro 2019
Fotos: ONG MEAM

Há 11 anos São Fidélis enfrentava transtornos após transbordamentos de valões Segundo dados da época, duas mil casas foram atingidas e pelo menos 150 moradores perderam todos os pertences

Segundo dados da época, duas mil casas foram atingidas e pelo menos 150 moradores perderam todos os pertences

Fotos: ONG MEAM

Há 11 anos, moradores de São Fidélis enfrentavam dezenas de transtornos ocasionados pelas fortes chuvas que atingiram municípios do Estado do Rio em janeiro de 2008. Segundo o jornal Estadão, em matéria publicada no dia 9 de janeiro daquele ano, duas mil casas foram atingidas e pelo menos 150 moradores perderam todos os pertences.

Diversas ruas ficaram alagadas e a situação foi agravada pelo transbordamento dos valões Esperança e Catarina. Lojas, casas e outros vários estabelecimentos foram invadidos pela água, causando grandes prejuízos. Na ocasião, a Prefeitura chegou a decretar estado de emergência.

Ainda segundo o Estadão, a Defesa Civil do Estado informou na época que 30 famílias estavam desabrigadas. “Iniciamos a dragagem, mas, com a quantidade de chuva, que atingiu a marca de 114 milímetros em 40 minutos, mesmo com a limpeza feita antes, não adiantaria”, disse o secretário de Comunicação Social da prefeitura, Idisom Barrozo, ao Estadão na ocasião. Os desabrigados foram abrigados em duas escolas municipais e não houve registros de mortos ou feridos.

A força da água abalou a estrutura de uma pequena ponte da linha férrea na Vila dos Coroados. Arrancou parte do gramado e destruiu a estrutura do estádio Sebastião de Almeida e Silva, o Só-So. Ônibus que estavam em uma garagem ao lodo foram arrastados para dentro do estádio. Carros ficaram submersos.

Em dezembro daquele mesmo ano, fortes chuvas voltaram a castigar municípios da região e doze deles decretaram situação de emergência, entre eles São Fidélis. Mais de 50 mil pessoas ficaram desalojadas no estado e mais de 11 mil perderam tudo. Porciúncula, Natividade, Laje do Muriaé, Itaperuna, Pádua, Aperibé, São Fidélis, São João da Barra, Cambuci, Italva, Bom Jesus e Campos decretaram situação de emergência. Já Cardoso Moreira decretou estado de calamidade.


Mais do SFn