segunda-feira , 5 dezembro 2016
túnel matriz novo 1

História e Cultura apresenta: as lendas urbanas de São Fidélis

Igreja Matriz de São Fidélis Foto Vinnicius Cremonez 3
Foto: Evando Freitas

Agosto, mês do folclore

No dia 22 de agosto se comemora o dia do folclore. Essa data foi estipulada em 1965 como meio de fazer as pessoas lembrarem de toda a nossa cultura perpetuada ao longo dos séculos. O folclore não se baseia só em lendas, como Saci-Pererê e Mula Sem Cabeça, mas se constitui detodas as tradições costumes e crenças de um povo. Quem nunca escutou uma frase de para-choque de caminhão, uma trava-língua, uma história da avó ou avô, uma parlenda ou uma trova?Se você já viu ou escutou, aprendeu um pouco de nossa cultura folclórica.

Essa é a primeira postagem do mês de agosto, e irá falar sobre o folclore fidelense, mais especificamente sobre as lendas urbanas e rurais do município. Nesta primeira postagem serão focalizadas as lendas urbanas, e posteriormente as rurais.

túnel matriz novo 2A lenda dos túneis

A muito se conta na cidade que existe um túnel que liga a Igreja Matriz ao Colégio Estadual de São Fidélis. Inclusive, os antigos contam que teriam passado por esse suposto túnel, alimentando, pois, a história.

A origem da lenda está no fato de existir no subsolo da Igreja Matriz 30 catacumbas, construídas para enterrar padres e contribuidores das obras da igreja. Até hoje ainda se pode ver algumas dessas catacumbas, conforme as ilustrações.

A história, entretanto, não para por aí. Conta-se ainda que esses túneis serviam para os frades fugirem do ataques dos índios no início da missão, por volta de 1800. Quando essa tribo atacava, os frades fechavam a igreja e passavam pelo túnel até a Igreja do Rosário (Hoje, o Colégio Estadual de São Fidélis) e fugiam. Todavia, esta não passa de uma história imaginada, portanto, se constitui uma lenda urbana, específica de São Fidélis.

Mas afinal, qual a ligação entre esses dois lugares, a Igreja Matriz e a Igreja do Rosário? Ao lado da Igreja do Rosário havia um cemitério de índios e negros a céu aberto, além de um hospício, enquanto que na igreja matriz um conjunto de galerias que são na verdade catacumbas (cemitérios). A única ligação é que os dois possuíam cemitérios. Nunca houve passagem entre esses dois lugares, e o que os mais velhos contam não passam de histórias que envolvem as passagens para as catacumbas por baixo da Igreja, que tiveram sua maior parte fechada e soterrada em 1820.

A noiva da Ordem

ordemEssa lenda não é tão difundida como a dos túneis, mas faz parte do folclore fidelense. Não encontramos registros escritos, portanto, este pequeno texto se baseia em narrativas populares, ou seja lenda.

Os antigos dizem que havia uma noiva que, em noite de lua cheia, aparecia na janela da ordem. Essa noiva não conseguiu se casar e, por isso, vem a cada lua procurar um marido.

Antigamente, as pessoas iam para perto do lugar para ver se a lenda era verdade, e como a mente humana nos faz ver coisas onde não há, achavam que viam a bela noiva.

velha da matriz 2A velha da vassoura

Essa lenda não é tão antiga, teve origem provavelmente nas décadas de 1960 e 70, quando foram feitas as pinturas do teto da Igreja Matriz.

Só parte da origem da lenda é conhecida, e não se tem muitos registros em livros sobre ela. Há duas versões de como surgiu a lenda, mas não cabe aqui explica-las. O fato é que o pintor Uberar Marin, que era espanhol, quando foi pintar a passagem do livro do apocalipse no teto da igreja matriz, representou nela uma senhora com uma vassoura na mão, sobre a qual se conta ser uma velhinha de que ele não gostava muito por ela lhe ter negado água.

Como podemos ver na figura abaixo, a velhinha com a vassoura está mesmo sendo representada, e na passagem bíblica de onde essa pintura foi tirada não está registrada tal figura. Como não se sabe quem é, constitui-se como lenda.

velha da matriz

SFn