quinta-feira , 14 novembro 2019

Hora do Angelus: Sinos da Capela São Sebastião, em São Fidélis, passam a ser tocados diariamente Antes os sinos só eram tocados em procissões, na festa do padroeiro da Ipuca, onde está localizada a capela

Antes os sinos só eram tocados em procissões, na festa do padroeiro da Ipuca, onde está localizada a capela

Fotos: Divulgação

Quem mora ou já visitou o município de São Fidélis, no Norte Fluminense, provavelmente já escutou as badaladas dos sinos da Igreja Matriz ou da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida e São Fidélis. Uma tradição que se estende ao longo dos séculos, agora também será praticada na Capela de São Sebastião, localizada no alto de um outeiro no bairro Ipuca. Segundo Fabrício, mais conhecido como Periquito, zelador da capela, antes os sinos só eram tocados em procissões, na festa do padroeiro do segundo distrito. Ele acredita que é a primeira vez que os sinos são tocados em referência à oração do Angelus. Os sinos serão tocados manualmente (veja o vídeo no final) e diariamente, às 12h e às 18h, assim como na Igreja Matriz. Ao SF Notícias Fabrício revelou se sentir muito grato por ser responsável por tocar os sinos (Veja o vídeo no final). “Principalmente por ser na Capela de São Sebastião, Capela do meu bairro onde comecei toda minha caminhada na Igreja” – disse.

Segundo o site oficial de notícias do Vaticano, a recitação da oração do Angelus, acompanhada pelo badalar dos sinos das igrejas, teve início no século XIII. Era chamada na época de “oração da paz”, pois o “objetivo era honrar o Filho de Deus que, encarnando-se no seio da Virgem Maria, colocou os fundamentos da paz entre Deus e os homens”. A oração era rezada somente no início da noite, pois se acreditava que o Arcanjo Gabriel apresentou-se a Virgem Maria ao entardecer. Posteriormente, os sinos passaram a ser tocados às 6h da manhã, ao meio-dia e às 18h.

Mais do SFn