quarta-feira , 22 novembro 2017

Hospital Armando Vidal gasta mais em procedimentos do que recebe em repasses Defasagem em tabela de procedimentos do SUS desequilibra os hospitais e precariza o setor da saúde

Defasagem em tabela de procedimentos do SUS desequilibra os hospitais e precariza o setor da saúde

Fotos: Arquivo

O Hospital Armando Vidal (HAV), em São Fidélis, está tendo mais gastos com procedimentos do que os valores recebidos através de repasses. Segundo informações da direção da unidade, o motivo é uma defasagem em mais de 1.500 dos cerca de 4 mil procedimentos hospitalares inclusos na Tabela de Procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS).

Em nota a direção informou que a defasagem é muito grande, o que acaba desequilibrando os hospitais, e que em todos os procedimentos realizados há uma perda financeira, que precariza o setor da saúde e torna praticamente impossível de se trabalhar com valores tão baixos. Eles afirmam ainda que os valores da tabela do SUS deveriam ser no mínimo, o dobro.

Diante dessa defasagem, o HAV destaca-se a importância dos demais recursos repassados pelos governos municipal, estadual e federal. A defasagem da tabela do SUS faz com que os municípios tenham que contribuir com um aporte de recursos financeiros cada vez maiores. Entretanto esta é a única saída que se encontra para as instituições não deixarem de ofertar determinados serviços.

Segundo o diretor clínico da unidade, Dr. Sebastião de Almeda Silva Neto, o atendimento é precarizado, pois a unidade recebe somente R$ 175 mil ao mês do poder público, mas gasta cerca de R$ 350 mil para manter os serviços de urgência, emergência e maternidade. O baixo valor também prejudica na contratação de médicos. Segundo ele, para oferecer um serviço de qualidade, seriam necessários dois clínicos, um pediatra, um ortopedista e um obstetra de plantão na maternidade.

“Precisamos de dois clínicos, um pediatra, um ortopedista e na maternidade, um obstetra de plantão. Nunca teremos qualidade enquanto continuarmos sem a necessidade básica de material humano”.

Foto: Divulgação

Mais do SFn