segunda-feira , 18 dezembro 2017

Hospital Armando Vidal recebe a visita do secretário de saúde do estado em meio a polêmicas e denúncias

IMG-20140919-WA0001
Fotos: SECOM /HAV /Manuela Escalla

Na manhã de ontem (18), São Fidélis recebeu o Secretário Estadual de Saúde, Marcos Esner Musafir, que realizou visitas no Hospital Armando Vidal e na Clínica da Família, com o objetivo de analisar  o andamento das obras nestes locais e firmar novos compromissos com a saúde do município.
De acordo com a administração do Hospital Armando Vidal, o secretário vistoriou a obra de ampliação da UTI, onde está ocorrendo a ampliação dos leitos, de 7 para 10.

De acordo com  a Assessoria de Impressa do município, o secretário Marcos Esner, também visitou a obra da Clínica da Família, no bairro São Vicente.

Nos últimos meses, o hospital tem sido alvo de  muitas críticas e comentários em relação a estrutura, atendimento e possível fechamento da unidade.

 

O último caso de repercussão envolvendo o hospital,  aconteceu na noite do último sábado (13), onde um homem, identificado como Paulo Jonas Lopes de Souza de 31 anos, teria sofrido uma queda de aproximadamente três metros,  e a demora na transferência do paciente para Campos teria causado a morte do mesmo.
Sandra Rogério Jardim
Sandra Rogério Jardim

A esposa da vítima, Sandra Rogéria Jardim de Oliveira, recebeu o SF Notícias, e disse que a cidade está em uma situação precária, e se continuar assim o caso do seu marido não será o último, e que pode acontecer de novo com outras pessoas, mas deseja que algo seja feito, pois houve negligência do Hospital neste caso.

Segundo Sandra, a ambulância que levava seu marido para Campos, retornou para atender outra paciente, e ao chegarem no hospital, teriam deixado Paulo sem assistência dentro da ambulância.“Ele não vai voltar mais, as chances dele acabaram, mas eu gostaria que fizesse justiça, para que pelo menos não aconteça com outras pessoas, porque o caso da menina não era grave, portanto ela foi embora pra casa, então eles deixaram meu marido morrer por algo que podia esperar e pra mim foi omissão de socorro”, disse.

Paulo havia chegado no hospital às 22h25 e deu entrada no Ferreira Machado a 1h da madrugada, falecendo 40 minutos depois.  “O médico do HFM, doutor Arthur, conversou comigo e falou que fizeram o possível, mas não deu para salvar a vida dele, acabou sofrendo uma parada cárdio respiratória e não resistiu pela demora no atendimento”, Lembra indignada a esposa da vítima.

O SF Notícias, também procurou a direção do Hospital Armando Vidal, onde o diretor do local, Alex Godoy, nos concedeu uma entrevista. “Segundo informações dos funcionários que prestaram atendimento, o paciente Paulo já vinha de uma lesão com traumatismo craniano a pouco tempo, e por isso era um paciente mais grave do que o normal, mas a gravidade só pôde ser vista através de uma série de exames, e como nem todos esses recursos temos aqui, o doutor Josmar concedeu o primeiro atendimento, e posteriormente solicitou a transferência, .” Disse o diretor.

“Quando a ambulância saiu logo em seguida, chegou uma outra paciente com um sangramento perto da região da púbis, bastante significativo,  e como o sangramento do Paulo era algo que dependia de alguns exames para ser constatado, os funcionários resolveram acionar a ambulância que ainda estava no município levando Paulo”, disse.

Ainda afirmou que esse processo de transferência demorou devido a falta de documentação do paciente, e Doutor Josmar deixou o paciente na ambulância, mas estava completamente estável, e um funcionário da secretaria municipal de saúde, desceu da ambulância para pegar o telefone e ir adiantando para central mandar mais um carro, e ele demorou em torno de cinco a 10 minutos.

“A vida da gente depois de uma tragédia como essa, vira do avesso, e nesse momento não sei o que fazer, porque ele era uma pessoa muito prestativa, me ajudava bastante, e até ficava com as crianças para eu poder trabalhar.” Lamentou Sandra sobre a perda que sofreu.

 

 

 


Mais do SFn