Jogadores fidelenses farão mais uma edição do futebol beneficente na cidade

1
Fotos: Reprodução.

Com o encerramento do calendário do futebol brasileiro, começam a aparecer as tradicionais peladas de fim de ano. Em São Fidélis, alguns jogadores fidelenses estarão reunidos para a realização da terceira edição do “futebol beneficente”. A partida acontecerá no dia 19 de dezembro, à partir das 15h, no Campo do Aterro. A entrada custará 2kg de alimentos não perecíveis.

Entre os nomes confirmados, estão os irmãos Marquinhos, do Grêmio,e Maycon Inez, do Sahab Club, da Jordânia. Os dois promoveram as primeiras edições e estão participando da organização da pelada deste ano, que também contará com Eriano Santos (Caldense), Gabriel Carneiro (base do Vasco), Luciano Almeida (futevôlei/Atlético-MG), entre outros.

– A expectativa é grande, já que é em prol de ajudar as pessoas que necessitam, sempre estou dentro. Mesmo sem muita ajuda, a gente corre aqui, ali, e consegue fazer um grande evento. Eu espero ter bastante público. Ano passado, em Pureza, teve um público bom. Espero que, dentro de São Fidélis, tenha ainda mais pessoas, gerando mais ajuda. A entrada será por 2kg de alimentos não perecíveis. Se preferirem, uma lata de óleo, um leite.. Será tudo bem vindo. Vamos fazer uma cesta, e neste mesmo dia vamos estar entregando a algumas famílias, que já estamos selecionando, que estão precisando, passando muita necessidade. E vamos doar também no lar dos idosos, que é onde a gente sempre doa. A expectativa é de ser um grande evento. – disse Maycon, que aproveitará a oportunidade para matar a saudade de amigos e familiares.

3– Representar a nossa cidade é sempre maravilhoso, porque a gente que joga futebol sai da nossa cidade, das nossas raízes, onde temos nossos familiares e amigos. É um pouco complicado, porque sou cria daí, nasci aí. Então, é um prazer imenso poder ficar um tempinho das minhas férias aí na cidade, que eu amo de coração. É muito bom, muito gratificante, além de poder estar fazendo um evento para ajudar as pessoas que precisam. Com o dom que Deus nos deu, a gente pode estar fazendo um futebol beneficente. Esse é o intuito. O mérito não é meu, não é do meu irmão, não é de ninguém. Vamos deixar, primeiramente, pra Deus, que deu esse dom pra gente, e pras pessoas que vão estar lá nos prestigiando. Os alimentos que forem arrecadados vão ser de grande valia aí, pra esse fim de ano. – contou Maycon, que começou o ano na Cabofriense, antes de ir para o futebol sul-coreano.

O ano de 2015 pra mim foi um pouco complicado, tive um começo de temporada na Cabofriense, disputando o Carioca. Tive poucas oportunidades, devido às minhas lesões, mas as poucas que tive consegui aproveitar. No segundo semestre, Deus abriu as portas aqui no Sul da Arábia, e tive uma sequência melhor. Pude jogar, estar fazendo meus gols e mostrar meu potencial. 2016, eu espero e tenho certeza, convicção e fé em Deus, que vai ser um ano abençoado. Não só pra mim, como pro meu irmão também. Vamos arrebentar, passar a borracha em tudo o que passou em 2015, e fazer tudo diferente em 2016. Vai ser um ano abençoado. – finalizou Maycon.

O discurso é bem parecido com o de Marquinhos, que estava nas categorias de base do Grêmio, teve uma passagem pelo Caxias, e recentemente voltou ao tricolor gaúcho, que na próxima temporada disputará a Libertadores da América.

4– Não tive um ano muito bom, tive bastante lesão, mas graças a Deus e à força da minha família, consegui dar a volta por cima, para estar no grupo que conseguiu a vaga na Libertadores e quem sabe o vice-campeonato brasileiro. No ano de 2016, que venham muitas conquistas. – disse Marquinhos, que também falou sobre o futebol beneficente.

– Esse ano será diferente das outras edições. Nossa ideia é estar fazendo o bem pra quem precisa. Nossos amigos de infância que gostam de jogar, vão estar junto também. E terá ainda jogadores da nossa cidade e região. Fico muito feliz de poder levar o nome da minha cidade aonde eu vou. É poder representar várias pessoas, que sonham em ser jogador profissional, e também ser espelho para outros que estão começando. Só me da força e vontade pra ir mais longe. – concluiu o jogador gremista.

SFn