Jovem de São Fidélis é selecionado para programa de mestrado em universidade da Holanda Universidade é uma das 100 melhores do mundo; Fidelense vai embarcar para a cidade de Groningen no próximo mês

Universidade é uma das 100 melhores do mundo; Fidelense vai embarcar para a cidade de Groningen no próximo mês

Foto: Arquivo pessoal

Com apenas 23 anos, o jovem Esdras Raposo de Almeida, natural de São Fidélis, terá uma grande oportunidade em sua carreira como psicólogo. Recém-graduado pela Universidade Federal Fluminense (UFF), em Campos, ele foi aceito em um mestrado de pesquisa na University of Groningen, localizada na Holanda, uma das melhores universidades do mundo. Ele embarcará para a cidade de Groningen no próximo mês.

Ao SF Notícias, o jovem conta que foi um longo processo até ser aceito na instituição. “Acredito que eu tenha começado em novembro do ano passado. Ele foi composto de três etapas, documentação que é o envio de toda papelada em inglês inclusive um resumo de cinco páginas da minha monografia, carta de recomendação dos meus professores aqui do Brasil, uma carta de motivação minha, etc. A segunda etapa foi uma prova de estatística e a terceira uma entrevista via Skype com dois professores PhDs do programa de mestrado” – relata. Ele explica ainda que será um dos pesquisadores da universidade e que receberá por isso, como acontece em mestrados e doutorados de pesquisa no Brasil.

Foto: Reprodução/

De acordo com Esdras, o programa de mestrado, chamado Epidemiologia clínica e Psicossocial (traduzido para português), conduz pesquisas que avaliam os aspectos biopsicossociais da saúde além de treinar seus pesquisadores com questões atuais, estudos de casos sobre saúde, por exemplo. Ele tem grande foco em prevenção, diagnóstico e tratamento das condições físicas e mentais da população levando em consideração a saúde pública, fatores psicossociais e condições de saúde da mesma. O programa reúne quatro departamentos da universidade, departamento de ciências médicas, psicologia, psiquiatria e epidemiologia.

“É um mestrado de pesquisa em uma das melhores universidades do mundo. Estou muito feliz com essa realização. E tenho plena consciência de não tê-la conseguido sozinho. Nas três etapas do processo, o currículo que eu fui montando durante meus anos de graduação na Universidade Pública com certeza me deu essa força para competir em um cenário internacional” – afirma. Mas, essa não será a primeira vez que o fidelense estuda no exterior, durante a graduação ele também passou em um programa de mobilidade internacional, oferecido pela própria UFF e fez um semestre letivo na Espanha.

O jovem destaca ainda a importância da universidade pública, tanto para ele quanto para a população que desfruta da produção de conhecimento e serviço oferecidos pela universidade. “Eu enquanto estudante da UFF fiz atendimentos que poderiam custar cerca de 2000 reais ou mais, de maneira gratuita pela clínica de psicologia da universidade. Também participei de um projeto de orientação vocacional para jovens do ensino médio da rede pública, ajudei a montar processo seletivo para o RH da empresa júnior da universidade, participei de grupos de estudo e de pesquisa” – exemplifica.

Ele relembra ainda o fato da universidade pública colocar o Brasil entre os países que mais produzem artigos científicos do mundo, o que é bastante emblemático e de muito valor nos dias atuais. “Tudo isso que a Universidade Federal que é pública me proporcionou e proporcionou a população, foram fundamentais no meu processo para o mestrado na Holanda. Dessa forma, eu acredito que a universidade pública no nosso país, deva ser um dos nossos tesouros, nosso patrimônio” – opina. O jovem reforça ainda que o incentivo deve vir dos governos, garantindo direitos a própria população que os elegeu, com abertura de mais instituições de ensino nas cidades, mais vagas nas universidades públicas, maior incentivo à permanência nas universidades e aumento no valor das bolsas de iniciação científica, por exemplo.


Mais do SFn