terça-feira , 19 setembro 2017

Localidades rurais são afetadas por incêndio em São Fidélis

Fotos: Manuela Escalla /Kariny Maia
Fotos: Manuela Escalla /Kariny Maia

São Fidélis hoje amanheceu tomada por muita fumaça, devido a um incêndio ocorrido em duas localidades rurais que ficam entorno do município, que com o passar do tempo foi tomando grandes proporções seguindo por muitas horas descontrolado.

Segundo informações de alguns proprietários de Queimadafazendas do local, o fogo teria começado na tarde de ontem (13), na localidade de São Benedito e se alastrado para a localidade de Palmital, e hoje começou a atingir a reserva florestal da Lagoinha.

Ainda segundo os mesmos, o Corpo de Bombeiros foi acionado, mas informaram que não tiveram condições de fazer algo, pois as chamas estavam na parte alta do morro.

Três pessoas utilizando de recursos com baldes d’agua e transporte animal para chegarem até de foco de incêndio, lutaram contra as chamas. Os homens que participaram do combate a chamas foram: Barnabé Serpa, um fazendo conhecido como “Carlinhos” e outro fazendeiro conhecido como “Chico”, que afirmaram que o incêndio iria demorar muitas horas ainda para que seja totalmente controlado.

Queimada

Barnabé conta que vê esta situação com muito pesar e lamenta acompanhar a morte de diversos animais e a devastação da mata, provocados pela seca e as queimadas, que podem ser criminosas ou não, algo que infelizmente é difícil de saber.

Segundo o Supervisor da Emater, Theodoro Pinheiro Filho, em relação a seca que está afetando diversos produtores rurais, a unidade Emater procura sempre estar orientando os proprietários de terra, colheita e gado, e caso o produtor precisar de uma atuação mais efetiva, ele pode procurar a sede da Emater, localizada na Av Paranhos, Centro.

Theodoro completou relatando, que o serviço corriqueiro da Emater é de orientação para que os produtores se preparem para este tipo de período adverso em que estão enfrentando, no município de São Fidélis. Queimada

“Nesta cidade, chove em torno de 900 à 1000 milímetros, e a falta deste recurso normalmente desencadeia situações como esta.” explicou ele.

Contou também, que nesse período de seca a incidência de queimadas é maior, pelo capim começar a secar e basta uma pessoa vir colocar fogo, as chamas logo se alastram, algo que danifica severamente o solo. Enfatizou ainda dizendo, que todo incêndio é criminoso, e isso é uma questão de denunciar ao INEA ou a secretaria de meio ambiente, para que tomem medidas necessárias em relação ao ocorrido.

Queimada


Mais do SFn

SFn