terça-feira , 6 dezembro 2016
w2e3rtyuio9u690

Macaé vive momento histórico na passagem da tocha

wsdertyukiuouio
Fotos: Guga Malheiros

Macaé foi um dos municípios que receberam o revezamento da Tocha Olímpica neste domingo (31/07). Em entrevista a uma rádio local, um dos condutores da tocha na cidade, o professor macaense Rossine Medeiros, ressaltou que a passagem da chama Olímpica foi um momento histórico para o município. O evento coincidiu também com o aniversário de 203 de Macaé, comemorado na última sexta-feira (29).

O presidente da Fesporte, Thales Coutinho, explicou que a prefeitura foi convidada, pelo Comitê Organizador da Rio 2016, para ser cidade celebração. “À prefeitura coube apenas a parte operacional do revezamento da tocha, com auxílio da mobilidade urbana, guarda municipal, limpeza pública e programação visual”, esclareceu, completando que os dois músicos Bira Belo e Glauco Zulu, que se apresentaram na Lagoa, abriram mão dos seus cachês para que a festa acontecesse. Ele destacou ainda que a estrutura principal do evento foi toda trazida pela organização Rio 2016.

Coutinho pontuou que a decisão da tocha não passar na Barra de Macaé foi da Força Nacional. “Não houve participação do poder público municipal em relação à mudança do trajeto. A força tarefa local, composta por integrantes do governo, foi informada da mudança do trajeto minutos antes da chama chegar à cidade. Não houve tempo hábil para avisar à população. Ficamos decepcionados com o Comitê Organizador e com a Força Nacional”, completou.

Para o professor Rossine Medeiros foi uma emoção representar Macaé no Revezamento da Tocha. “A vontade de todo professor é participar de uma Olimpíada, que acompanho desde 1960. Não acreditei quando fui convidado a participar do revezamento da Tocha em Macaé, desliguei o telefone duas vezes, pensei que era trote. Participar desse momento foi fantástico”, destacou.

wertyuioipop

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *