segunda-feira , 18 dezembro 2017

Manifestações em Macaé, Campos e Friburgo nesta sexta-feira (30) Ponte da Barra foi fechada em Macaé, e em Campos, a BR-356 ficou bloqueada por quase quatro horas

Ponte da Barra foi fechada em Macaé, e em Campos, a BR-356 ficou bloqueada por quase quatro horas

Fotos: Reprodução

Após a manifestação desta quarta-feira (28) em Macaé, que resultou na em pedido de abertura de inquérito sobre as atuais condições de segurança da Petrobras, devido as últimas mortes no campo de Marlim, na Bacia de Campos, petroleiros voltaram às ruas da cidade na manhã desta sexta-feira (30). Desta vez o ato aconteceu contra as reformas trabalhista e previdenciária, ocupando a ponte da Barra por cerca de 50 minutos, seguindo depois para a Praça Veríssimo de Mello, no Centro. Os petroleiros também pediram o fim da redução de efetivo nas empresas, o combate à terceirização, mais segurança no trabalho e a saída do presidente da república Michel Temer.

Já em Campos dos Goytacazes, o protesto contra as reformas fechou por quase quatro horas a BR-356, das 5h às 8h40, o trecho de acesso ao Porto do Açu. Os manifestantes atearam fogo em pneus, e também pediram a saída de Michel Temer. A BR-101 também sofreu retenção por conta de manifestações no km 320, com bloqueio total das pistas da avenida do Contorno que dão acesso à cidade de Niterói e ponte Rio-Niterói. O protesto começou às 5h40 e terminou às 7h20. 

Na Região Serrana, em Nova Friburgo, dezenas de pessoas se reuniram na manhã desta sexta-feira (30) em frente à Prefeitura da cidade para protestar também contra as reformas previstas pelo Governo Federal. Profissionais da rede de educação municipal e estadual aproveitaram a data para cobrar melhorias para a categoria, revindicando o atual salário-base de R$ 807 para que seja equiparado com o piso estadual de R$ 1.130.


Mais do SFn