capa

Mas por quê??! – A História de Elvis

7-Mas-por-quê-–-A-história-de-Elvis_crédito-Renato-Mangolin
Fotos: Reprodução.

A minha coluna dessa semana vai ser mais uma dica cultural. Assisti no último final de semana em São Paulo uma peça tão fofa, tão delicada, tão lindinha, que me sinto na obrigação de recomendar pra vocês. Produzida pelo meu amigo Felipe Lima e Pablo Sanábio, dirigida por Henrique Linhares e Felipe Habib, com o texto adaptado por Rafael Gomes e Vinicius Calderoni da obra do escritor alemão Peter Schössow, “Mas por quê??! – A História de Elvis” trata a perda de maneira leve e muito poética para o universo infantil, tudo embalado ao som do Rei do Rock Elvis Presley.

A história é muito simples, Cecília, uma menina que acabou de perder seu bichinho de estimação, um canarinho que ela batizou de Elvis, em homenagem ao cantor- visto que ele cantava tão bem como ele, tem que se defrontar com os questionamentos, medos e tentar entender o porquê essas coisas acontecem. Em um mergulho ao seu inconsciente ele encontra personagens importantes da sua trajetória de vida que faz com que as coisas fiquem mais claras e fáceis pra ela lidar.

11-Mas-por-quê-–-A-história-de-Elvis_crédito-Renato-MangolinLetícia Colin, Júlia Gorman, Marcel Octavio, Pedro Lima e Simone Mazzer, formam o elenco que toca e canta oito clássicos de Elvis Presley: Tutti frutti, A little less conversation, Hounddog, Blue suede shoes, Can’t help falling in Love, Always on my mind, Bridge over troubled water e Love me tender. No palco, instrumentos variados (piano, acordeom, saxofone, violão, guitarra, baixo, ukulele, bateria e castanholas) são compartilhados entre os atores.

Um espetáculo que emociona os adultos, pois todos vão se lembrar dos clássicos e perceber como é difícil falar de morte para as crianças; e encantar os mais novos, pois além de muita cor, personagens super divertidos e bem construídos, a gente sai do teatro com aquele gostinho de quero mais. Todos muito talentosos, a cenografia de Bia Junqueira e os figurinos de Luciana Buarque dispensam comentários, pois além de ornar com absolutamente tudo, nos dá a impressão que estamos dentro da cabeça de uma criança, onde sem exageros, tudo é muito crível e ao mesmo tempo lúdico.

Quem estiver por Sampa, ou pretende vir pra cá nas férias de julho, não deixe de conferir. Teatro Porto Seguro, Sábados e Domingos, às 15 horas!

8-Mas-por-quê-–-A-história-de-Elvis_crédito-Renato-Mangolin

SFn