quarta-feira , 23 agosto 2017

Médica que negou atendimento a bebê na Capital poderá ser presa Nesta semana a delegada responsável pelo caso ouvirá testemunhas e receberá laudo técnico de perícia.

Nesta semana a delegada responsável pelo caso ouvirá testemunhas e receberá laudo técnico de perícia.

Foto: Arquivo

A delegada Isabelli Conti, da 16ª DP (Barra da Tijuca), que investiga o caso da morte do bebê Breno, de 1 ano e 6 meses, ocorrida há duas semanas, quando a médica Haydée Marques da Silva se negou a fazer o atendimento, não descarta a possibilidade de pedir a prisão preventiva da médica. Ela já foi indiciada por homicídio culposo. Mas poderá passar para homicídio doloso, quando se assume o risco de ter o resultado morte.

Nesta segunda-feira (19), a delegada irá ouvir outras duas testemunhas do caso da morte do bebê Breno. Na quarta-feira (21), uma terceira testemunha, a médica do home care também será ouvida. Faltam três depoimentos para o inquérito ser concluído. São eles: duas médicas do plano de saúde.

Para ajudar no caso, a delegada também solicitou à perícia técnica para responder algumas questões através de um laudo técnico, como por exemplo, como que a criança corria risco de morrer, e se ela fosse encaminhada imediatamente para um hospital, se haveria chances de salvamento da criança. Para dessa forma poder então, concluir todas as hipóteses neste caso de negligência.

Fez algum registro? Mande fotos e vídeos para o nosso WhatsApp (22) 99793-8976. Baixe agora o aplicativo do SFn no seu celular! https://goo.gl/w4WvaY.


Mais do SFn

SFn