sexta-feira , 15 dezembro 2017

Médicos de hospital de Itaocara paralisam por falta de pagamento

Há oito dias sem pagamento, cerca de 30 médicos do Hospital Municipal de Itaocara, no Noroeste Fluminense, cruzaram os braços nesta segunda-feira (18). A unidade está atendendo apenas as situações de emergência. De acordo com a diretora administrativa do Hospital, Berenice Guimarães, quem precisar de atendimento e estiver fora do quadro de emergência terá que recorrer à secretaria de Saúde do município.

itaocara2[1]

Procurado pela equipe de reportagem, o atual prefeito de Itaocara, Gelsimar Gonzaga (PSOL), informou que trabalha com a verba solicitada pela gestão anterior e que nos anos de 2011 e 2012 a suplementação liberada pela Câmara foi de 40%, 15% a menos do que a liberada em 2013.

“Estamos trabalhando com o orçamento do ano passado e precisamos dos outros 15% de suplementação para acertar a folha de pagamento dos médicos, que chega a R$ 240 mil. Nesta terça-feira vou mobilizar a cidade, porque a Câmara precisa liberar esse dinheiro. Quem sofre com esse problema é a população, isso é uma injustiça e vou lutar para resolvê-la”, explicou Gelsimar.

Segundo o presidente da Câmara, Roberto Cruz, a falta de dinheiro para o pagamento da classe médica é um problema administrativo do executivo, uma vez que o legislativo já teria liberado uma suplementação de 25% destinada à Saúde neste ano de 2013.

“Não podemos aprovar verba sem saber para onde ela está indo. Além dos médicos, a prefeitura também está devendo cerca de R$ 150 mil à farmácia que, através de licitação, distribui os remédios que não estão incluídos na farmácia popular. A Câmara de vereadores do último pleito deixou disponível R$ 12 milhões para a saúde. A gente quer entender pra onde este dinheiro está indo”, disse o presidente da Câmara.

Com 45 leitos e 800 atendimentos por mês, os médicos do Hospital de Itaocara aguardam o pagamento para dar continuidade ao trabalho e atendimento à população. Na próxima terça-feira (19), haverá plenária na Câmara e, na pauta, a suplementação pedida pelo prefeito Gelsimar será debatida.

Reportagem: Letícia Bucker

Fonte: G1

Fotos: Reprodução da Internet


Mais do SFn