sexta-feira , 6 dezembro 2019

Ministério da Saúde adverte: Campanha de vacinação contra sarampo é fake news Imagem sobre suposta campanha nacional vem circulando nas redes sociais; Confira a orientação do Ministério quanto à vacinação

Imagem sobre suposta campanha nacional vem circulando nas redes sociais; Confira a orientação do Ministério quanto à vacinação

Fotos: Reprodução

Nos últimos dias, uma imagem tem circulado nas redes sociais e grupos de WhatsApp alertando sobre uma suposta campanha nacional de vacinação contra o sarampo. Segundo o texto da mesma, todos os adultos com menos de 50 anos deveriam tomar a vacina, sendo que aqueles com menos de 30 anos deveriam tomar duas doses. A imagem, entretanto, é fake news, conforme advertiu o Ministério da Saúde em seu perfil oficial no Facebook. “O Ministério da Saúde informa que NÃO existe, no momento, uma campanha nacional de reforço da vacinação contra o Sarampo no Brasil. A imagem que circula nas redes sociais diz respeito a uma campanha realizada em 2018” – diz a publicação.

A pasta informou ainda que a vacinação contra o sarampo deve seguir o Calendário Nacional de Vacinação. “Quem já foi vacinado, de acordo com a sua faixa etária, não precisa receber a vacina novamente. Confira sua caderneta de vacinação. Em caso de dúvida, procure uma unidade de saúde e informe-se” – ressaltou. No momento, a orientação é de que as crianças – entre seis meses a menores de um ano – que vão viajar para um dos 39 municípios com surto ativo da doença, sejam vacinadas. (Veja mais AQUI)

No Estado do Rio, a Secretaria de Estado de Saúde informou que está em alerta contra o sarampo em virtude de um surto no estado de São Paulo, devido à proximidade com o Rio, que pode ser um potencial corredor da doença. A recomendação para o Estado, segundo a SES, é que crianças a partir de 1 ano e adultos até 49 anos que não se vacinaram procurem os postos municipais. Entretanto, até o momento, a vacinação é apenas de rotina. A indicação é fazer a administração da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) para crianças a partir de 1 ano de idade e os adultos até 49 anos que não estão em dia com a vacina.

Mais do SFn