Moradores de Pádua fazem ato pelo fim da violência contra a mulher Três mulheres foram assassinadas em Pádua entre o natal de 2018 e outubro de 2019. Atualmente a polícia faz buscas por Franciane. Ela é natural de Pádua, mas desapareceu em Miracema há mais de 40 dias

Três mulheres foram assassinadas em Pádua entre o natal de 2018 e outubro de 2019. Atualmente a polícia faz buscas por Franciane. Ela é natural de Pádua, mas desapareceu em Miracema há mais de 40 dias

Moradores de Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, se reuniram em um ato pelo fim da violência contra a mulher no município e na região. Com cartazes, moradores – na sua maioria, mulheres – pediram justiça, o fim das agressões contra as mulheres e questionaram onde está “Buja”, que está desaparecida há mais de 40 dias. Nesta semana, a polícia fez escavações em uma residência à procura dela. Os moradores se reuniram na manhã desta quinta (24) na Praça Monsenhor Diniz, de onde os participantes seguiram até a Praça Pereira Lima. Entre dezembro de 2018 e setembro deste ano, foram registrados 121 casos de feminicídio no Estado do Rio, segundo dados do Observatório Judicial da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, do Poder Judiciário fluminense. (continua após a publicidade)

Ana Luiza foi morta no natal

Entre as vítimas estão Maria de Fátima Pires de Azevedo e Ana Luiza de Oliveira Ramos. Ambas eram moradoras de Pádua e foram assassinadas. A manifestação foi organizada pela Thais Oliveira, filha de Ana Luiza. A mãe dela morreu após ser esfaqueada pelo companheiro na noite de Natal, em 2018. O crime aconteceu no bairro Gerador e Ana Luiza chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu antes de chegar ao hospital. “Eu fiquei bem emocionada! Foi uma coisa incrível! Com essa passeata eu tive o prazer de conhecer a Beatriz, filha da Maria de Fátima, e pude abraçá-la. Muitos falaram que não ia dar certo e hoje eu me sinto realizada por ter conseguido fazer da melhor forma possível e conscientizar as mulheres. Queria agradecer a todos os participantes da manifestação de ontem contra o Feminicídio. Aos que foram e aos que não puderam comparecer, mas que de forma indireta ajudaram”, disse Thais Oliveira. (continua após a publicidade)

Maria de Fátima também foi assassinada em Pádua. Ela foi encontrada morta e enterrada em um imóvel próximo de sua casa no dia 11 de julho desse ano (foto à direita). Ela estava desaparecida desde o dia 23 do mês anterior (reveja AQUI) No dia 20 de outubro uma jovem foi assassinada a tiros na Rua Ramiro Reis Coutinho, no bairro Cidade Nova. Ketrine da Silva Goulart, de 23 anos, não resistiu e morreu antes mesmo da chegada do socorro. Atualmente a polícia faz buscas para descobrir o que aconteceu com Franciane Moizes Pedro, de 28 anos, conhecida como “Buja”, que está desaparecida desde o dia 13 de setembro. Ela é natural de Pádua, mas estava residindo em Miracema. Por dois dias a polícia fez escavações na casa em que ela estava morando. Os policiais encontraram panos com marcas, que podem ser de sangue, enterrados.

Mais do SFn