sábado , 10 dezembro 2016
fila sus 2

Moradores de S.Fidélis dormem na rua para tentar marcar consultas

fila sus 3
Fotos: Matheus Almeida

Uma dura realidade que se repete em diversas cidades do Brasil, não é diferente em São Fidélis. Quem precisa agendar exames especializados no município, tem passado por dificuldades. Os moradores chegam a esperar até 24h horas na fila para conseguir marcar os procedimentos. Alguns tiveram que sair de casa por volta das 8h da manhã, para tantar marcar consulta no outro dia, e consulta que só acontece no mês seguinte. Algumas pessoas levam até os filhos para a fila.

O caso acontece na sede do Sistema Único de Saúde (SUS), e onde também funcionam a Secretaria Municipal de Saúde do município, e a Central de Ambulâncias.

sus são fidélis foto vinnicus cremonezNossa equipe passou parte da noite gelada com os moradores na fila. Quando chegamos, por volta de 1h da madrugada desta quinta-feira, dia 20 de agosto, já havia 52 pessoas na nossa frente. Segundo esses moradores, toda as vezes em que é véspera de marcação de consulta, o que acontece duas vezes ao mês, eles são obrigados a dormirem na rua, para conseguir uma vaga, mas nem todos consegue, pois as fila sus 1senhas, são distribuídas por ordem de chegada. Ainda segundo os moradores, para conseguir mostrar o resultado de um exame, ou o resultado de um raio x, é preciso dormir na fila e pegar senha.

Quem chega mais cedo, consegue passar a noite em um corredor que fica aberto, mas quem chega mais tarde, precisa dormir na rua. Alguns levam colchonetes, e outros, dormem dentro do carro. Para quem precisa dormir na rua, além do frio, convive com a insegurança, pois ficam com medo de serem assaltados.

Na parede do SUS encontramos um cartaz com as especialidades e quantidades de senhas disponíveis para cada uma. Para angiologista, por exemplo, são 90 senhas. Para cardiologista, apenas 15 senhas. Para ser atendido pelo médico cirurgião Júlio Jorge, são 17 senhas na 1º vez e mais 17 no retorno. Já para o médio Rosário, são 15 senhas no primeiro atendimento, e 28 no retorno.

fila sus 5Já para neurogista, o número é reduzido, sendo apenas 10 vagas, e 42 senhas para nutricionista. Também é disponibilizado 127 vagas para clínico geral, sendo essas vagas, divididas entre dois médicos. Na fila encontramos com Maria das Graças, de 65 anos, que mesmo com o pé quebrado, teve que dormir na rua, para tentar conseguir uma consulta com um ortopedista. Segundo ela, o problema começou quando o SUS passou a fechar entre meio dia e 13h.

“O certo seria distribuir as senhas durante um expediente normal, sem que ninguém precisasse ficar esperando nessa fila, e dormir na rua nesse frio. Tenho pressão alta e não posso ficar aqui”.

ficha do susTambém  encontramos com Eraldo Amaral, de 70 anos. Ele confeccionou senhas para distribuir entre os moradores, numa tentativa de organizar a fila, mas essas senhas, são distribuídas por conta própria, e não pelo SUS, ou seja, não valem de nada, pois os moradores precisam continuar na fila, para manter o lugar. Eraldo disse que mesmo quando não precisa ficar na fila par marcar consulta, leva as fichas para ajudar a organizar.

A população apresentou um solução. “As fichas poderiam ser distribuídas entre 13h, que fecha o SUS, até umas 20h. Vamos para casa já com a ficha, e voltamos no dia seguinte para marcar, sem precisar dormir aqui”.

De acordo com os moradores, como o atendimento é feito por ordem de chegada, algumas pessoas marcam lugares na fila, e depois tentam vender esses lugares. Alguns com medo de não conseguirem atendimento, pagam até R$ 30,00 pelo lugar.

SFn