segunda-feira , 16 setembro 2019

Natural de Itaocara, escritora terá contos lançados na Edição Bienal da coletânea ‘Antologia Palavreiras’ Em março, Valéria Faria Leão lançou seu primeiro livro de crônicas, com duas delas dedicadas a Itaocara e Aperibé

Em março, Valéria Faria Leão lançou seu primeiro livro de crônicas, com duas delas dedicadas a Itaocara e Aperibé

Fotos: Arquivo pessoal

Brincar no quintal de casa, em contato com todos os aromas e cores da natureza, lanches na padaria perto do colégio, com deliciosos doces e salgados caseiros, pizzas depois das missas na única lanchonete da cidade, são algumas memórias que atual geração possivelmente não tem. Mas, para quem viveu no interior, no início dos anos setenta, como é o caso da escritora Valéria Faria Leão, natural de Itaocara, essas lembranças trazem saudades e muita inspiração. Filha do saudoso Ataide Faria Leite, primeiro prefeito de Aperibé, e de Nely Souza Leão, ela demonstrava um talento para a escrita desde nova. Ainda assim, quando ‘crescesse’ Valéria queria ser advogada, o que não era muito comum à época, principalmente por ser mulher. Com 21 anos ela se mudou para a capital, mas parafraseando Drummond, a escritora ressalta que saiu do interior, mas ele jamais saiu dela. O sonho de ser advogada se realizou, mas sem ofuscar o amor pela escrita.

“Escrevo desde sempre. Minha mãe sempre disse que eu seria escritora. E, finalmente, cá estou, cumprindo a profecia de minha mãe. Trabalhei por trinta anos na ALERJ e atualmente sou aposentada do serviço público e exerço a advocacia civil. Sempre mantive os laços de amizade e afeto com as pessoas com quem compartilhei os primeiros anos de vida. Por isso, o interior ocupa um lugar especial na minha vida e na minha escrita” – disse, em entrevista ao SF Notícias. 

Desse “lugar especial” nasceu o primeiro livro de crônicas ‘Compartilhando Sentimentos para não sufocar com as palavras’. Nele, a autora retrata a vida no interior de modo geral, dedicando dois textos aos municípios onde passou a infância, Itaocara e Aperibé, e também aborda temas como família, amizade, superação e empoderamento feminino. “Venci uma grave doença, passei por todo o tratamento sem contar nem mesmo para os meus familiares, o título do livro é a melhor tradução do quanto foi difícil suportar tudo em silêncio. Resolvi publicar o livro de crônicas incentivada pelos amigos e familiares que sempre se identificaram com os meus textos” – conta.

O livro foi lançado em uma livraria em Ipanema em março desse ano e no Clube dos Quarenta, em Aperibé, em abril. O prefácio foi escrito pelo escritor, poeta, romancista e militar da reserva, o paduano Enéas Quintal. Na Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), Valéria participou com um conto, intitulado ‘Noite de São João’, que fez parte da Edição Antologia Palavreiras FLIP 2019, e conta a história da noite que os pais da autora se conheceram. Já nesta quinta-feira (05/09) ela participará da Bienal do Rio com dois contos: ‘Noite de São João’ e ‘O Imprevisto’. O lançamento da coletânea ‘Antologia Palavreiras’ será a partir das 20 horas, no stand da Editora Autografia. Valéria estará à disposição para conversas e autógrafos com os leitores que tiverem interesse na obra. Leia a sinopse abaixo:


Mais do SFn