terça-feira , 20 novembro 2018

O que estressa o brasileiro

Nem precisa fazer muita pesquisa pra saber: dinheiro, trânsito, violência, corrupção. São muitas as causas que tornam o dia a dia, a convivência com familiares e amigos algo complicado. Mas é preciso saber lidar com isso senão este estresse pode acabar se refletindo até mesmo nas crianças.

Para algumas coisas, você pode tentar melhorar, diminuindo o quanto aquilo te afeta. Para o trânsito, é possível mudar seus hábitos e trajetos, ouvir música que acalma a mente, meditar, usar bolinhas antistresse, não faltam opções.

Contra a corrupção, além de votar melhor, somente praticando a honestidade nos pequenos atos, mesmo que isto te custe perda de tempo e até um pouco de coragem. Nada de pagar propina para o guarda, por exemplo! Tem que ensinar aos filhos que devem devolver qualquer coisa que encontrarem e souberem o dono.

Contra a violência, infelizmente, só nos resta a prevenção. Andar com poucos bens de valor, preferir trajetos mais movimentados e bem iluminados, estar atento a movimentos de estranhos. Estamos sempre com medo, essa é a verdade. Mas não se pode desistir nunca!

Finalmente, e talvez mais importante, vem o dinheiro. Tenho certeza de que a vida ficaria um pouco mais fácil se você ganhasse mil reais ou mais, todos os meses, como extra. Algumas despesas fixas se tornariam leves e você teria um pouco mais de tempo para o lazer, algo que também ajuda a diminuir o estresse.

Em pesquisa recente, constatou-se que o brasileiro é o 2° povo mais estressado do planeta e que quase 60% dos estudantes apresentam alta taxa de estresse por causa da escola. É importante que os pais acompanhem mais de perto seus filhos, para tentar fazer com que esta parte da vida, tão importante, não se torne um pesadelo, por causa da depressão.

É fundamental estimular o descanso total como ficar sem fazer nada e não se sentir culpado. Realizar atividades físicas como andar de bicicleta, caminhar, praticar esportes, conversar com os professores e até com psicólogos para que estes números diminuam e o caso não piore no futuro.


Mais do SFn