sábado , 10 dezembro 2016
usina itaocara projeto 2

Obras da usina hidrelétrica de Itaocara começam em Janeiro

usina itaocara projeto 7
Fotos: Matheus Almeida

Um projeto que estava se arrastando há anos, finalmente irá sair do papel. Com previsão para ser iniciada em janeiro de 2016, a obra de construção da UHE Itaocara, custará aproximadamente 1 bilhão  gerando aproximadamente 1.200 empregos diretos e 2.200 indiretos no pico da obra, ficando pronta em 36 meses.

Nossa equipe de reportagem esteve na sede do Consórcio UHE Itoacara.Também estivemos em Itaocara, onde conversamos com o prefeito e pescadores.

O consórcio formado por 49% da CEMIG e 51% da Light, formado há seis anos, venceu no dia 30 de abril, o leilão promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), retornando a concessão para construção e operação da Usina Hidrelétrica Itaocara I. Ela terá capacidade de gerar 150 Megawatts, energia suficiente para abastecer uma cidade de 400 mil habitantes.

A energia produzida na usina de Itaocara, será levada através de uma rede de até uma subestação que será feita na represa Ilha dos Pombos, que pertence a Light SA, e fica em Porto Velho do Cunha, entre Carmo e Além Paraíba, onde será distribuída para as empresas Light, Ampla e Energisa.

MAPA USINA ITAOCARA 2A barragem será construída entre Itaocara, margem direita do Rio Paraíba, e Aperibé, na margem esquerda do rio, próximo ao distrito de Batatal, em Itaocara. O reservatório da hidrelétrica irá ocupar uma área de 40 quilômetros quadrados, entre os municípios de Aperibé, Itaocara, Cantagalo e Santo Antônio de Pádua no Estado do Rio de Janeiro, e Pirapetinga, em Minhas Gerais.

rio paraiba larguraSegundo o diretor do consórcio, Luiz Carlos Amarilho, cerca de 800 pessoas terão que ser removidas ou realocadas devido a inundação provocada pelo reservatório. O número pode chegar há mil pessoas, se o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e de Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), liberar a redução de uma área de usina itaocara projeto 1preservação permanente que existe às margens do rio, passando de 100 metros, para 30. O órgão também irá decidir se as pessoas que ficam nessa área, terão que sair ou não, por isso o número pode passar dos 800.

“Algumas propriedades são grandes e não serão totalmente inundadas. O proprietário vai pegar o dinheiro da indenização e construir uma nova casa na mesma área, só que um pouco mais acima do rio, ou seja, ele será apenas realocado, e não removido”., disse o Coordenador Ambiental do Consórcio, Mário Trento.

O Consórcio UHE Itaocara já possui as Licenças Prévia e de Instalação, emitidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e de Recursos Naturais Renováveis, garantindo o início das obras. A concessão da Usina é válida por 35 anos.

Como todo empreendimento, existem os aspectos positivos e negativos, que serão mostrados na próxima reportagem, inclusive, com a opinião do prefeito de Itaocara.

RIO PARAÍBA DO SUL BARCOS 2

SFn