quinta-feira , 13 dezembro 2018

Para cortar gastos, escolinhas de futebol foram fechadas em Itaocara

asdfcgvhjkjl
Fotos: Reprodução / Vinnicius Cremonez

Na contramão da maior parte do estado, as regiões Norte e Noroeste Fluminense estão ficando cada vez mais sem investimentos na área do esporte. Estádios sendo demolidos, e escolinhas de futebol sendo fechadas; foi o que aconteceu recentemente em Itaocara.

Seis unidades que eram mantidas pela prefeitura do município, sendo elas localizadas em Laranjais, Portela, Conceição, Jaguarembé, Engenho Central e na própria sede do município, foram fechadas e os instrutores demitidos. Só na unidade de Jaguarembé, aproximadamente 100 crianças de 5 a 15 anos, foram prejudicadas pela decisão da prefeitura.

“Sem se importar com a atividade esportiva disponível para as crianças, o prefeito de Itaocara fechou as escolinhas, mais graças a Deus aqui em Jaguarembé, um cidadão vendo a importância da escolinha, se colocou a disposição e vai pagar o salário do instrutor para não encerrar as atividades”, disse um morador que não quis se identificar.

Com ajuda de um morador local que vai pagar o salário do professor, as atividades da escolhinha de Jaguarembé serão mantidas, mas e as demais crianças?. A atividade desenvolvida por essas escolinhas era importante para o esporte e para as crianças, evitando que elas fiquem nas ruas.

ITAOCARA RODOVIÁRIA 2Nossa redação foi atrás de uma resposta, e entramos em contato com a Prefeitura de Itaocara e com a Secretaria de Esporte, que funciona na parte de cima da rodoviária da cidade.  Por telefone, o secretário de esporte do município, Jucimar Amorim, desmentiu a informação de que as escolinhas teriam sido fechadas. Segundo Jucimar, as unidades voltaram a funcionar, pois os instrutores decidiram continuar trabalhando sem recerber. Jucimar informou ainda que essa medida veio do prefeito para cortar os gastos do município.

Por telefone conversamos com pais de crianças que frequentavam essas unidades, e todos eles confirmaram que as atividades foram paralisadas, assim como um outro funiconário da própria prefeitura que não quis se identificar.


Mais do SFn