Para evitar leilão e fim de uma história, Prefeitura de Pádua desapropria área do Paduano Esporte Clube Leilão iria acontecer hoje (10/12); dinheiro arrecadado com a venda seria para quitar dívidas trabalhistas e uma ação cível

Leilão iria acontecer hoje (10/12); dinheiro arrecadado com a venda seria para quitar dívidas trabalhistas e uma ação cível

Fotos: Divulgação

Há quatro dias o SF Notícias mostrou que a história de um dos principais times do interior do estado poderia chegar ao fim. Fundado em 27 de maio de 1927 e campeão da Série C do Carioca em 1987 e 2012, o “Trovão Azul” do Noroeste Fluminense poderia perder sua história; sua origem; seu estádio e sua sede social para quitar dívidas trabalhistas e uma ação cível. É que o clube foi acionado na Justiça por cinco processos trabalhistas (2013-2017) e um processo cível (2007), que resultam em uma dívida de aproximadamente R$ 200 mil. Mas a dívida atual do clube chega a 490 mil somando tudo o que o Paduano precisa pagar, segundo o atual presidente, Rômulo Vieira. (continua após a publicidade)

O processo de 2007 se refere a um evento realizado nas dependências do clube sem autorização, que gerou uma Ação Civil Pública após denúncia no Ministério Público. Toda a área do clube seria leiloada hoje na Vara do Trabalho de Itaperuna. Ela corresponde a um terreno de forma retangular, medindo 115,00m de largura por 140,00m de comprimento, onde ficam as piscinas, o Estádio Waldo Carneiro Xavier, a arquibancada com 444 lugares, o alojamento com banheiro e uma construção onde fica o bar. Toda área está avaliada em R$ 6.190.000,00 (seis milhões, cento e noventa mil reais). Para evitar o leilão e desmanche de uma história que a sede do Paduano guarda, o Prefeito Josias Quintal de Oliveira decretou a desapropriação e municipalização de toda a sede do clube. “Fica declarado de utilidade pública para fins de desapropriação” diz o decreto. Segundo o decreto, “fica considerado o interesse público e a veemente necessidade deste ente federativo em adquirir um imóvel para sediar o estádio municipal, com o condão de atender a população Paduana com projetos sociais de cunho esportivo, já que não existe no município local adequado para tal finalidade”. O decreto diz ainda que a verba empregada para a desapropriação, no valor de R$ 3.000.060,00, será à conta da Procuradoria Geral do Município, oriunda do Programa de Trabalho nº 04.122.0001.2011.000, de fonte de recursos próprios. (continua após a publicidade)

Segundo Rômulo Vieira, nos próximos dias o Paduano informará os próximos passos e o desfecho de toda situação, que inclui o pagamento integral dos débitos trabalhistas. “Tudo isso só foi possível pela intervenção da prefeitura, na figura do Prefeito Josias Quintal, à quem agradecemos por não deixar que um patrimônio como este, vá para as mãos de particulares que se aproveitariam da situação delicada que vive o clube para lucrar em cima de um local marcado por histórias de gerações e gerações paduanas!”, diz a nota divulgada pelo presidente.

Mais do SFn