quarta-feira , 13 dezembro 2017

Perigo que vem do céu: Bom Jardim, Friburgo, Miracema e Cambuci se destacam na incidência de raios na região Estudo do ELAT apontou que nos últimos seis anos o número médio anual de raios no Brasil subiu para 77,8 milhões

Estudo do ELAT apontou que nos últimos seis anos o número médio anual de raios no Brasil subiu para 77,8 milhões

Raios atingem o bairro Lagomar, em Macaé, em fevereiro deste ano. Fotos: Lúcio Cesar, em Friburgo (capa) / Reprodução

Eles preocupam e assustam, possuem força capaz de ferir e até matar uma pessoa. Nos últimos seis anos, de acordo com um estudo realizado pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) o número médio anual de raios no Brasil foi de 77,8 milhões, bem superior ao obtido no levantamento de 2002.

De acordo com o ranking, os 10 primeiros estados com maior densidade de raios por quilômetro quadrado por ano são: Tocantins, com 17,1 raios por quilômetro quadrado seguido por Amazonas (15,8), Acre (15,8), Maranhão (13,3), Pará (12,4), Rondônia (11,4), Mato Grosso (11,1), Roraima (7,9), Piauí (7,7) e São Paulo (5,2).

Na região, a cidade de Laje do Muriaé possui a maior incidência de raios, de 4,15 por km² ao ano, ocupando a 41º posição em todo o Estado do Rio. Em seguida se destacam Bom Jardim, em 47º, Friburgo, em 50º, Miracema em 53º, São José De Ubá em 56º, seguido por Cordeiro (57º), Cambuci (58º). Já em 60º está São Sebastião Do Alto.

Itaperuna, Duas Barras, Itaocara, Pádua, Cantagalo, Santa Maria Madalena, Macaé, Natividade e Macuco ocupam consecutivamente as posições 63º, 64º, 65º, 66º, 67º, 68º, 69º, 70º e 71º. Bom Jesus Do Itabapoana vem em 73º, Porciúncula em 74º,  Aperibé 75º, São Fidélis em 77º, Italva em 80º, Campos 85º e por último na região Cardoso Moreira ocupa a posição 86º. No Estado do Rio, a maior incidência de raios ocorre no verão, principalmente nos meses de janeiro e fevereiro.


Mais do SFn