quinta-feira , 19 outubro 2017
Fotos: SF Notícias

Petrobras aprova aumento do preço do gás de cozinha A nova fórmula de preços levará a aumento médio nas refinarias de 6,7% em junho.

A nova fórmula de preços levará a aumento médio nas refinarias de 6,7% em junho.

Fotos: SF Notícias

A Petrobras divulgou hoje (07/06) a nova política de preços para o Gás Liquefeito de Petróleo comercializado em botijões de 13 quilos (GLP-P13), conhecido como gás de cozinha. Era o único produto da empresa para o qual ainda não havia sido definida fórmula de cálculo. A nova fórmula de preços levará a aumento médio nas refinarias de 6,7% em junho.

O preço nas refinarias será calculado pela média mensal das cotações do butano e do propano no mercado europeu, convertida em reais pela média diária das cotações da venda do dólar, acrescida de uma margem fixa de 5%.

A vigência dos preços será aplicada a partir do dia 5 de cada mês, com início previsto para este mês de junho, quando o reajuste será aplicado, excepcionalmente, a partir do dia 8.

De acordo com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, a política, aprovada ontem pela diretoria executiva da estatal, segue a resolução 4/2005 do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), que determina a comercialização da embalagem destinada a uso doméstico a preços inferiores às demais apresentações. Parente explica que, com isso, a empresa completa o ciclo de definição de políticas para os produtos da companhia, garantindo a previsibilidade de preço.

Se repassado integralmente ao consumidor, a Petrobras calcula que o preço do gás de cozinha subira, em média, 2,2%, ou R$ 1,25 por botijão, “se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos”. O preço ao consumidor não necessariamente reflete o ajuste nas refinarias. Isso depende de repasses por outros agentes da cadeia de combustíveis, como distribuidoras e revendedores.

Baixe agora o aplicativo do SFn no seu celular!https://goo.gl/w4WvaY.


Mais do SFn

SFn