segunda-feira , 16 janeiro 2017

Pezão pede prisão de servidores que entraram na Alerj durante manifestação

manifestacao-alerj

O governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, disse que pediu a prisão de manifestantes que entraram na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro em protesto contra medidas propostas por Pezão numa tentativa de diminuir os impactos da péssima administração do atual governo.

Em entrevista a imprensa, após uma reunião com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Pezão disse que pediu ao novo comandante geral da PM e ao novo chefe de Polícia Civil, que os servidores – na maioria policiais militares e civis – que entraram na Alerj, sejam presos que sejam tomadas as medidas mais duras possíveis contra esses servidores.

“Isso é caso de polícia. Invadir o parlamento, nem na ditadura. Acuar os deputados, numa sala dentro do departamento médico. Isso não é do servidor público. Isso é lamentável. Eu pedi daqui ao chefe da Polícia Militar e da Polícia Civil, que prenda e faça as medidas mais duras possíveis contra essas pessoas que invadiram o parlamento”, disse o governador durante a entrevista.

Nesta terça, servidores ativos e inativos protestaram em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro contra o pacote de medidas de combate à crise anunciado na última sexta-feira (04/11) pelo governo. A manifestação reuniu em maioria servidores das áreas de segurança pública, como bombeiros, policiais civis e militares e também aposentados e pensionistas. Em um determinado momento, parte do grupo entrou na Alerj. A sala da vice-presidência, que fica no segundo andar, foi depredada.

Se aprovado pela Alerj o pacote prevê o corte de até 30% dos vencimentos, aumento de impostos, extinção de oito secretarias, acabando com 30% dos cargos comissionados, entre outras medidas. Confira as medidas aqui.

Fotos: SFnotícias

SFn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *