REUTERS

Pia Sundhage assume Seleção Brasileira e já mira ouro nas Olimpíadas de Tóquio Em uma das primeiras entrevistas após assumir com treinadora do Brasil, Pia disse que entrou em contato para conversar com a atacante Marta e confirmou que a jogadora será o coração do time no próximo ano.

Em uma das primeiras entrevistas após assumir com treinadora do Brasil, Pia disse que entrou em contato para conversar com a atacante Marta e confirmou que a jogadora será o coração do time no próximo ano.

A Seleção Brasileira feminina está passando por mudanças, após a apresentação oficial de Pia Sundhage como treinadora. Além de movimentar os bastidores e o extracampo, a sueca também tem realizado um planejamento para o próximo ano da equipe. Ela confirmou que Marta continua tendo um papel importante dentro do elenco e que o primeiro objetivo no cargo será o título das Olimpíadas de Tóquio.

Em uma das primeiras entrevistas após assumir com treinadora do Brasil, Pia disse que entrou em contato para conversar com a atacante Marta e confirmou que a jogadora será o coração do time no próximo ano. Segundo reportagem produzida pelo portal da ESPN Brasil, ela garantiu a presença da camisa 10 nas Olimpíadas de 2020 para conseguir, pelo menos, uma medalha na competição. A disputa não será fácil, principalmente pela presença de outros favoritos.

O histórico recente da Seleção em jogos olímpicos não é positivo. A última vez que a equipe subiu no pódio foi em 2008, em Pequim. Na ocasião, o Brasil perdeu a final, por 1 a 0, para os Estados Unidos e ficou com a medalha de prata. A decisão foi na prorrogação, algo que já tinha acontecido quatro anos antes. Em Atenas, Marta e companhia foram derrotadas pela Alemanha, por 2 a 1, após mais de 90 minutos de jogo.

Após estes resultados, não houveram mais medalhas. As edições de 2012, em Londres, e 2016, no Rio de Janeiro, foram ruins para a equipe brasileira, que não passou do quarto lugar. Pia Sundhage chega para tentar mudar exatamente isso, usando toda a experiência que possui. Curiosamente, ela era a treinadora dos Estados Unidos na vitória contra o Brasil em 2008, quando conquistou a medalha de ouro.

Equipe masculina

Não são apenas as jogadoras brasileiras que pensam nas Olimpíadas de Tóquio, já que a Seleção masculina vai disputar o torneio com o Sub-23. O Brasil é o atual campeão, após passar anos tentando a medalha de ouro, e vai chegar no Japão com o objetivo de defender o título. As dicas para apostas esportivas da Betfair tem colocado a Seleção Brasileira como uma das candidatas para títulos, não só no Japão, mas também em outras disputas na temporada, como as Eliminatórias e a Copa América.

Esse favoritismo vem pela boa campanha que a equipe fez no Torneio de Toulon, em junho deste ano. A Seleção Brasileira Sub-23 foi campeã, após derrotar o Japão nos pênaltis. O time foi campeão invicto, como mostra a cobertura do portal Globoesporte, e isso foi um sinal positivo pensando em 2020. O treinador André Jardine, que trabalhou no São Paulo, foi quem comandou a equipe.

As duas seleções vão chegar em Tóquio, no meio do ano que vem, com responsabilidades grandes. A confiança dos torcedores está em alta, seja pelo bom momento do time masculino, ou então pela chegada da treinadora sueca Pia Sundhage no feminino. Resta acompanhar os amistosos, e outros torneios de preparação, para conhecer melhor os times e os jogadores que estarão presentes no chute inicial dos jogos olímpicos.

Mais do SFn