quarta-feira , 7 dezembro 2016
POLICIA CIVIL 134 DP FOTO VINNICIUS CREMONEZ 2

PMs são presos acusados de formação de quadrilha durante operação em Campos e São Fidélis

coletiva-134
Foto: Campos 24h

Cinco homens foram presos, entre eles dois policiais militares, acusados de formação de quadrilha de milícia e extorsão de comerciantes em Campos. Eles foram presos durante a operação denominada “Perfídia”, deflagrada pela 134ª Delegacia Legal com o apoio da 6ª Delegacia de Polícia Judiciária/Militar (DPJM) na manhã desta sexta-feira (14/10). Foram cumpridos mandados de prisões (temporária de 30 dias) em Campos, São Fidélis e em Cordovil, no Rio de Janeiro.

Em coletiva, realizada na tarde desta sexta em Campos, os delegados – Geraldo Rangel e Pedro Emílio – responsáveis pela operação contaram que foram lavrados três flagrantes durante os cumprimentos dos mandados em razão de material ilícito encontrado junto com os suspeitos, como munições de diversos calibres, incluindo de fuzil, coletes balísticos, armas de fogo e até mandados de busca e apreensões falsificados.

POLICIA CIVIL PADUA
Foto: SF Notícias

As investigações começaram após uma tentativa de extorsão mal sucedida realizada no mês passado na localidade de Donana, na Baixada Campista, onde o grupo preso chegou a trocar tiros com os policiais do 8º BPM que montaram um cerco após a sala de operações da unidade receber denúncias. Segundo os delegados, os policiais – um lotado no 8º BPM, um no 32º BPM e outro no 36º BPM – chegavam até os comerciantes e apresentavam mandados de busca e apreensão falsos. As vítimas se sentiam acuadas e coagidas, em função da aparência de licitude que os suspeitos apresentavam, e acabavam fornecendo quantias de R$ 10 mil a R$ 30 mil.

Os nomes de todos os envolvidos não foram divulgados pela Polícia Civil. Um terceiro policial militar, lotado no 36º BPM de Pádua, está foragido. Ele foi excluído em 2015 ao ser condenado por homicídio e ocultação de cadáver, mas após uma decisão recente após sua defesa recorrer, ele foi reintegrado ao 36° BPM.

Em nota, o 36º BPM informou que o policial considerado foragido é originário do 32° BPM (Macaé) e foi reintegrado e lotado no 36º BPM pela Diretoria Geral de Pessoal no início de outubro, quando entrou de férias, não chegando a trabalhar nas fileiras do 36º BPM, devendo se apresentar na próxima segunda-feira ( 17/10 ) para o serviço.

SFn