Fotos: SFnotícias
Fotos: SFnotícias

Polícia apreende acusado e faz reconstituição criminal do homicídio de jovem fidelense

homicídio jovem 1
Fotos: Vinnicius Cremonez / Matheus Berriel

Na manhã desta quarta-feira (05.08), a Polícia Civil de São Fidélis realizou a reconstituição do crime que vitimou o jovem Fábio Inácio da Silva, de 22 anos, encontrado morto na última segunda-feira (03.08) dentro do Rio Paraíba do Sul, na altura da localidade de Laranjal, após ficar quatro dias delegado rodrigo maia 1desaparecido.

A reprodução simulada dos fatos contou com a participação de Carlos Rangel Campos, vulgo “Jacó”, acusado pelo homicídio. Carlos que foi apreendido ontem pelos policiais, no bairro São Vicente de Paula, e confessou que o crime aconteceu de forma homicídio jovem 2premeditada.

Segundo o delegado titular da 141ª Delegacia Legal de São Fidélis, Rodrigo Maia, atualmente o acusado é morador de Bom Jardim, mas estava em São Fidélis há 15 dias para cobrar uma dívida de dois anos de Fábio, o que acabou ocasionando o homicídio. O valor da dívida estaria em torno de 10 mil reais, originada por falta de pagamento de drogas.

A reconstituição se iniciou numa garagem, no bairro Jonas de Almeida e Silva (Chatuba), onde “Jacó” passou as últimas noites. Ele e Fábio teriam se encontrado naquele local no dia do crime, quando “Jacó” o convidou para fumar maconha em Laranjal. A vítima teria aceitado e eles foram para a localidade, ambos de bicicleta. Chegando lá, o acusado teria esperado Fábio abaixar para acender um cigarro, às margens do rio, e o atingiu por trás com pauladas, deixando-o caído. Pegadas no solo indicam que a vítima teria acordado e tentado atravessar o rio antes de morrer. Laudos do Instituto Médico Legal apontaram que ele estava com a mandíbula quebrada, e que a causa da morte teria sido afogamento.

Ainda segundo “Jacó”, após dar as pauladas em Fábio ele foi embora “comemorar o que havia feito”, se dirigindo até um bar para beber. No entanto, o bar não foi um dos palcos da reconstituição, pois o acusado alegou não se lembrar da localização do mesmo. Jacó já tem várias passagens pela polícia, sendo quatro por furto, uma por roubo, uma por lesão corporal, uma por tentativa de homicídio e uma por uso de drogas. Neste caso ele responderá por homicídio qualificado por motivo fútil, além da impossibilidade de defesa da vítima. Uma investigação também será aberta para averiguar a possibilidade de tráfico de drogas.

SFn