sexta-feira , 9 dezembro 2016
operação apocalipse 2 14

Polícia Civil deflagra operação “Apocalipse II” em São Fidélis

apocalipse2
Fotos: Vinnicius Cremonez

A 141ª Delegacia Legal de São Fidélis e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) desencadearam, na manhã desta quinta-feira (27/08), a operação Apocalipse II, com o objetivo de operação apocalipse 2desarticular o tráfico de drogas no município de São Fidélis. Foram denunciadas à Justiça 71 pessoas, integrantes de quatro grupos distintos, pela prática de crimes que variam entre tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção de menores e lavagem de dinheiro. Constam na denúncia líderes dos grupos que comandam o comércio ilegal de operação apocalipse 26dentro do presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos dos Goytacazes.

Ao todo são 150 policiais e 60 viaturas cumpriram os mandados expedidos pelo juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca de São Fidélis, a pedido do GAECO. Também foram decretadas 27 prisões preventivas e concedidos
70 mandados de busca e apreensão que foram cumpridos  em residências, estabelecimentos comerciais e em celas de alguns denunciados que já se encontram presos.

Os quatro grupos criminosos tinham ummodus operandi peculiar, uma OPERAÇÃO APOCALIPSE 2 20vez que recebiam as drogas e procuravam
enterrar os produtos, dificultando apreensões policiais. As drogas eram então embaladas em pequenas porções, pesadas em balanças de precisão e distribuídas entre vários integrantes responsáveis pela venda no varejo, inclusive mulheres e adolescentes, usados para o transporte dos entorpecentes a fim de evitar abordagem policial. As quadrilhas negociavam drogas em bares, em locais próximos ao Fórum de São Fidélis, na Estação Rodoviária da cidade, assim como nas proximidades do Ginásio Poliesportivo na Vila dos Coroados, onde há maior concentração de consumidores.

OPERAÇÃO APOCALIPSE 2 26Os policiais se encontraram por volta das 4h da manhã em frente a Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) em Campos, de onde saíram em comboio para São Fidélis. De acordo com o Delegado Titular da 141ª Delegacia Legal do município, Rodrigo Maia, que comandou a operação, assim como na primeira Apocalipse, um helicóptero também seria usado, mas ele foi cedido para um outra operação no Rio de Janeiro,

De acordo com o documento apresentado à Justiça, entre os denunciados estão Igor Bicudo, Antonio Marcos (AM) e Tiago Mendonça (Bigoel), que, mesmo presos, controlavam seus grupos criminosos de dentro da cadeia. Do grupo de Bicudo, também foi denunciado Douglas Vinicius Amorim (Dogão), que esteve envolvido na tentativa de homicídio do ex-secretário de Estado de Segurança, Josias Quintal, atual prefeito de Santo Antônio de Pádua. Outro líder de grupo é Leonardo Pinto da Silva (Léo Gordo), que tem mandado de prisão expedido, já foi preso na manhã desta quinta-feira.

Ainda segundo a denúncia, a investigação contou com interceptações telefônicas, autorizadas pela Justiça,  além de provas documentais e orais, que demonstram a forma de operação dos grupos criminosos. Parte da droga (cocaína, maconha e crack) era obtida nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo e no município de Campos, para ser revendida em São Fidélis.

Foram cumpridos mandados no bairro Vila dos Coroados, Centro, Gamboa, Chatuba, São Vicente de Paula e no Morro da Igualdade e Morro da Cocheira. Homens do CORE, do GAECO, da Delegacia de Homicídios também participam da operação, que além de São Fidélis, acontece no presídio em Campos e em Rio das Ostras.

A operação terminou com 24 dos 27 mandados de prisões cumpridos, sendo que mais um dos procurados, foi preso no dia seguinta. Dois continuam foragidos.

[gmedia id=4]

 

procurados

SFn