segunda-feira , 18 dezembro 2017

Polícia Civil resgata mais uma vítima de fazendeiro em SF

Homens da 134ª Delegacia Legal de Campos, voltaram no final da tarde desta segunda-feira, ao quarto distrito de São Fidélis, onde quatro homens eram mantidos em situação análoga à escravidão em uma casa na localidade de Angelim. Os policias resgataram o pai de uma das vítimas.

cfhh
Fotos: Vinnicius Cremoez/ TV Record

O caso que começou a ser desvendado na noite de sexta-feira (25), quando uma das vítimas fugiu e foi até a casa do sobrinho que fica cerca de 10 km do local, começou a ser contada pelo São Fidélis Notícias, e ganhou repercussão em todo estado, e até nos principais telejornais do Brasil.

O sobrinho da vítima que conseguiu fugir, levou ele até a 141ª Delegacia Legal no centro de São Fidélis,  onde ele comunicou o fato.

Uma operação envolvendo policias da 141ª DP de São Fidélis e da 134ª DP de Campos, foi montada e a POLÍCIA CIVIL ESTOROU O CATIVEIRO E LIBERTOU OS ESCRAVOS na tarde de sábado (26).

wsfsdhgtgjNo dia seguinte, o delegado adjunto da 134ª Delegacia Legal de Campos, José Paulo Pires,  voltou a fazenda e ao local onde as vítimas eram mantidas trancadas. Os ACUSADOS DE MANTER HOMENS ESCRAVIZADOS PODEM PEGAR ATÉ OITO ANOS DE PRISÃO, onde vão responder por crime de restrição a condição análoga a de escravo. Na tarde de ontem (28), uma das vítimas reencontrou sua família na delegacia de Campos. MÃE E FILHO SE REENCONTRARAM DEPOIS DE QUASE DEZ ANOS sem se ver.

A cada novo depoimento, novas denúncias vão surgindo, e a pena para os acusados, Paulo Cesar Azevedo Girão, de 58 anos, o filho Marcelo Conceição Azevedo Girão, de 33 anos, e o empregado Roberto Melo de Araújo, de 38 anos, pode chegar até aos 30 anos, se forem comprovados outros crimes, como tortura, lesão corporal, constrangimento ilegal e outros.

adbiuwhfinpow

Na tarde desta segunda-feira, policias civis voltaram até a localidade para resgatar o senhor Manoel Ferreira (Foto Acima), pai de Davi Pereira Ferreira, 38 anos, uma das vítimas. Nossa equipe conversou com o senhor, que não sabia muito o que estava acontecendo. Segundo seu Manoel, a mulher do caseiro (Roberto que está preso) recebia sua pensão, e que o filho morava no Rio e tinha conseguido o emprego no local. O senhor disse que não sabia que o filho não recebia.

POLICIA CIVIL 141 DP FOTO VINNICIUS CREMONEZ 1ASeu Manoel está cego e possui dificuldades de falar. Segundo o delegado Paulo Pires, as investigações dão conta de que o senhor também foi funcionário da fazenda, mas como ficou cego, não foi mais obrigado a trabalhar. Ele vivia nas mesmas condições que as outras vítimas.

No final da tarde, duas das quatros vítimas que ainda não tinham reencontrado as famílias, foram levadas para a “Casa de Passagem” em Campos, onde mais um deles, o Cirlei Rodrigues Moreira, de 36 anos, que é de Natividade, reencontrou sua família. Agora, apenas o Davi e seu pai estão no abrigo em Campos.

Segundo o delegado,  existe uma possibilidade de que havia uma sublocação de trabalho escravo em outras fazendas na região de Angelim, e que uma investigação está sendo feita para tentar descobrir. O delegado pede para quem tiver informações, entre em contato com a delegacia de São Fidélis, pelo telefone 2758-1317 ou com a delegacia de Campos, pelo telefone 2724-1580.  A Polícia Civil está trabalhando para manter a segurança das vítimas.


Mais do SFn