Polícia prende suspeitos de homicídio em São Fidélis

Fotos: Manuela Escalla
Fotos: Manuela Escalla
Rodriuinho | Marco Antônio
Bruno            |   Maycon Antônio

Policiais Militares e Civis em uma operação conjunta prenderam na tarde de hoje (02) em São Fidélis, dois suspeitos da morte de José Francisco Oliveira da Silva, de 18 anos, que  foi morto com um tiro na cabeça em frente a um bar às margens da RJ 158, ao lado da escadaria que vai para o bairro Jonas de Almeida e Silva, conhecido como Chatuba no último sábado (30).

Nossa equipe acompanhou toda ação com exclusividade.

Após um trabalho de investigação e com ajuda de denúncias anônimas, os policias chegaram aos acusados, que estavam em um matagal próximo ao matadouro municipal.

Foram encontrados com os acusados, identificados como Bruno Eduardo de Oliveira Azevedo, de 21 anos, e Maycon Antônio Mendonça Marins, de 20 anos, nove buchas de maconha e três papelotes de cocaína.

Um cerco foi montado pelos policiais e Maycon foi encontrado deitado, dormindo no mato, já o Bruno, estava em outro ponto da mata, e quando viu os policias, tentou fugir, mas foi preso.

A arma  usada no crime não foi localizada apesar dos acusados terem informado a polícia  que a mesma estaria próximo ao “Escadão” que dá acesso as Casas Populares do bairro. Segundo a informações da polícia os acusados disseram que  a motivação do crime  a vingança pela morte de uma tia de “Bruno” morta na localidade de Itereré ,  por José Francisco.

droga

presos 2

 

 

 

 

 

 

 

Um pouco depois da prisão dos dois, o Grupamento de Ações Táticas da 4ª CIA localizou e apreendeu a moto que era usada pelos acusados. A moto estava em uma oficina no bairro São Vicente, e o proprietário disse que os jovens haviam deixado a moto com ele até o pagamento de uma dívida.

presosBruno confessou o crime e a participação de Maycon. Os dois foram autuados nos artigos 121 por homicídio, onde a pena pode variar de seis a vinte anos, e nos artigos 33 por tráfico de drogas e no 35, por associação ao tráfico, onde a pena vai de três a dez anos de reclusão.

A ação foi comandada pelo Grupamento de Ações Táticas (GAT) da 4º Companhia de Polícia Militar composta pelo Sargento Miranda, Cabo Pontes e Soldado De Paulo, com apoio da Polícia Civil e da guarnição do Posto de Policiamento Comunitário (PPC) da Chatuba composta pelo pelo Sargento Joelson e Soldado Pontes.

Os acusados foram levados para 141ª DP onde o caso foi registrado. Os dois serão transferidos nas próximas horas para o presídio em Campos.

preos 2


Mais do SFn