terça-feira , 22 outubro 2019

Preço da gasolina nas refinarias sobem 27,8% Aumento aconteceu entre 10 e janeiro a 19 de março de 2019

Aumento aconteceu entre 10 e janeiro a 19 de março de 2019

Fotos: Bruno Velasco

A Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis) informa que os custos da gasolina nas refinarias Petrobras aumentaram 27,8%, de 10 e janeiro de 2019 a 19 de março de 2019.

Desde que a Petrobras alterou sua política de preços, passando a acompanhar as cotações internacionais dos combustíveis, a revenda de combustíveis vêm respondendo à imprensa e aos órgãos de defesa do consumidor pelos aumentos. Porém, tanto as altas como as queda de preços refletem as oscilações do livre mercado.

A Fecombustíveis, através de nota, informou que o preço da gasolina nos postos de combustíveis estão ligados diretamente aos preços das companhias distribuidoras, ou seja, se elas aumentam, geralmente, os postos também repassam os custos. Isto deve-se ao funcionamento da cadeia de combustíveis, que é composto por refinarias, distribuidoras e postos. Pelas regras atuais, os postos não podem comprar gasolina e diesel direto das refinarias, adquirindo apenas das companhias distribuidoras, que são responsáveis por toda a logística do abastecimento nacional em todos os estados brasileiros. As refinarias comercializam a gasolina A (sem etanol anidro) para as distribuidoras. Nas bases da distribuição são adicionados 27% de etanol anidro, que após a mistura torna-se gasolina C, vendida e distribuída para os postos via caminhões-tanques.

A composição de preço da gasolina reúne etanol anidro, impostos, fretes e margens. Vale lembrar que quase 50% dos custos da gasolina são referentes aos tributos. A Fecombustíveis informou ainda que os preços dos combustíveis são livres em toda cadeia, e que não interfere no mercado da revenda.

“Cabe a cada posto revendedor decidir se irá repassar ou não as altas ou quedas de preços ao consumidor, de acordo com as suas estruturas de custo.
A Fecombustíveis zela pela livre concorrência e pela livre iniciativa, em defesa de um Brasil melhor para todos”, diz a nota.

Mais do SFn