sexta-feira , 17 novembro 2017

Prefeito e secretários falam sobre dívidas da Prefeitura de São Fidélis e decreto de calamidade Irregularidades em contratos estão sendo apuradas pela prefeitura

Irregularidades em contratos estão sendo apuradas pela prefeitura

A Prefeitura de São Fidélis

foi a oitava administração fluminense a decretar estado de calamidade financeira devido as dívidas. Além de São Fidélis, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Cordeiro, Petrópolis, Rio das Ostras, São João da Barra e São Sebastião do Alto, também decretaram.

Em São Fidélis, segundo a nova administração, a prefeitura possui cerca de R$ 14, 400 milhões em dívidas processadas e não processadas, uma dívida de R$ 206 mil com a concessionária de energia elétrica e dívida com o Fundo de Pensão dos servidores. No final do ano passado, a Câmara de Vereadores rejeitou o projeto enviado pelo ex-prefeito para parcelar a dívida de 2002 a 2008 e criar um novo parcelamento. Ao todo, a dívida com o ‘Fundão’ é de R$ 18,120,000.

Na manhã desta quinta-feira (19/01), o prefeito Amarildo e os secretários de fazenda, controle interno e de governo falaram sobre as dívidas e o decreto em uma entrevista coletiva cedida para a imprensa.

O secretário de fazenda, Pedro Henrique, e o secretário de controle, Josemar Laje, falaram sobre o pagamento dos salários atrasados e controle dos gastos. Josemar disse que os veículos que fazem o transporte escolar de estudantes da zona rural estavam recebendo quilometragem a mais do que era feito.

Durante a entrevista também foi falado sobre a redução de 19 para 11 secretárias, uma das formas adotadas para reduzir os gastos. As dívidas do município equivalem a 20% da arrecadação anual, que é de R$ 86 milhões. Ainda segundo o governo, a prefeitura de São Fidélis perdeu R$ 4,500 milhões em convênios federais por falta de projetos não apresentados.


Mais do SFn