quinta-feira , 14 novembro 2019
Fotos: Divulgação/ SF Notícias

Prefeitura busca estratégias que possam conter possível chegada de óleo em praias de São Francisco Município possui um litoral de mais 60 km de extensão e um vasto manguezal

Município possui um litoral de mais 60 km de extensão e um vasto manguezal

Com o intuito de conter a possível vinda da mancha de óleo ao litoral em São Francisco de Itabapoana, a Secretária Municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil, Luciana Soffiati, esteve com o comandante da Capitania dos Portos de São João da Barra, capitão-tenente Francisco Filho, e os representantes da Witt O’Brien’s. Esta empresa executa o projeto Mar Atento, responsável por coordenar ações e articular estratégias que possam orientar o município na tomada de medidas para evitar os impactos ambientais. Além disso, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil (Sema) informou que está realizando contato contínuo com os gestores dos órgãos responsáveis pelo monitoramento do óleo.

O encontro aconteceu durante a realização da Expo Mar Atento, um programa da Shell, em parceria com a Equinor, na Colônia de Pecadores Z1, em Gargaú. Na oportunidade, foi realizado o cadastramento dos interessados a participarem do curso de capacitação do projeto que habilita os voluntários para atuarem em situações de emergência com derramamento de óleo no mar. O tema foi tratado em paralelo com a prefeita de SFI. A chefe do Executivo municipal se mostrou preocupada com a situação. “Temos que estar atentos, pois nossa cidade tem um litoral de mais 60 km de extensão e um vasto manguezal, que é considerado o berçário dos oceanos. Também existem muitas pessoas que dependem desse mangue para a subsistência de suas famílias. Não podemos ficar de braços cruzados, mas realizar aquilo que for da nossa competência”, afirmou Francimara Azeredo.

Na avaliação de Soffiati, a discussão foi produtiva. “O município não pode agir sozinho nesses casos. Por esse motivo fui discutir com pessoas que nos oriente da melhor forma sobre o assunto e traçar ações que possam nos ajudar. O próximo passo agora é unir forças com os municípios de Quissamã e Barra de São João para articularmos um trabalho coletivo”, planejou. De acordo com o Governo Federal, as primeiras manchas de óleo foram registradas em 30 de agosto em praias da Paraíba. Desde então, os resíduos já foram encontrados no Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia. Segundo o órgão, 1.027 toneladas de resíduos já foram coletadas, em uma faixa de 2,5 mil quilômetros da costa brasileira.

Mais do SFn