terça-feira , 19 setembro 2017

Promotor de Justiça fala sobre eleições em São Fidélis

urnas 2
Fotos: Vinnicius Cremonez / Arquivo Pessoal

Uma eleição tranquila e com uma apuração mais rápida que na eleição para prefeito, além de números que surpreenderam. Cerca de 22.525 eleitores compareceram aos 24 locais de votação espalhados pela área urbana e zona rural de São Fidélis.

Desses apenas 19.212 votaram em algum candidato, os chamados votos válidos. Outros  2.225 anularam o voto e 988 eleitores votaram em branco.

Para o Promotor de Justiça Fabiano Rangel Moreira, os eleitores de São Fidélis demonstraram certo amadurecimento e preparo se comparados à média do país. Esta percepção decorre do número pequeno de votos brancos e nulos, assim como pela escolha revelada pelo voto coletivo, já que a maioria absoluta dos votos de deputados estaduais e federais foi para candidato locais ou regionais.

Ainda segundo o Promotor, o pleito transcorreu de forma muito tranquila, o que surpreendeu positivamente.

promotor“Não há eleições sem irregularidades, apesar de existir muito desconhecimento por parte do povo e dos candidatos acerca do que é e do que não é “irregularidade”. A informação esclarecedora, a manifestação individual de uma preferência política, algum nível de interferência do governante, tudo isso são exemplos de condutas juridicamente aceitas pelos tribunais superiores e que acabamos por adotar como parâmetros na nossa atuação local”, disse Fabiano.

Sobre denúncias, o Promotor informou que surgiram algumas denúncias e todas elas foram apreciadas. Algumas delas foram rejeitadas por falta de adequação jurídica, a teor dos exemplos mencionados acima. Outras geraram procedimentos de investigação, buscas em domicílios de chefes de campanha e até instauração de inquérito policial que será posteriormente apreciado pelo Delegado, pelo Promotor de Justiça e pelo Juiz Eleitoral, e que nenhuma irregularidade ou crime eleitoral ficará impune nestas eleições.

eleição 4Durante o domingo de votação, apenas duas pessoas foram detidas por boca de urna no bairro Ipuca, e foram liberadas após assinarem um termo. Segundo a Polícia Militar, foram feitas duas ocorrências em relação a carros de propaganda de candidatos que estavam em frente aos locais de votação.

Para o segundo turno onde os eleitores estarão escolhendo o Governador do Estado do Rio de Janeiro e o Presidente do Brasil, o Promotor espera a mesma regularidade e seriedade observada no primeiro turno. Com o afunilamento dos cargos em disputa e o distanciamento maior entre o eleitor e os candidatos, é esperado um número menor de “boca de urna” e outras irregularidades na propaganda partidária.

“A sociedade fidelense deve se envolver cada vez mais na gestão política local, regional e nacional. Devemos incentivar fóruns de reflexão e discussão para politização de problemáticas que afetam a nossa vida coletiva, a exemplo do fechamento de escolas públicas e de hospitais, a exemplo da necessidade de lutarmos contra a contínua corrupção pública. Mais do que críticos distantes, espero que tenham consciência no exercício do voto e que isso seja um primeiro passo para que todos os fidelenses se tornem fiscais da coisa pública, refletindo e discutindo o que podemos melhorar na nossa cidade, inclusive formas de buscar o engajamento dos políticos estaduais e federais eleitos com votos dos nossos moradores. A gestão participativa é uma realidade presente nas sociedades mais avançadas e prósperas”, concluiu o Promotor.

Fotos: Vinnicius Cremonez


Mais do SFn

SFn