quarta-feira , 18 julho 2018

Ricos ganharam 36 vezes mais do que pobres no Brasil em 2017 No Sudeste, os mais ricos chegaram a ter concentração 33,7 vezes superior ao rendimento médio mensal de 50% da população com os menores rendimentos

No Sudeste, os mais ricos chegaram a ter concentração 33,7 vezes superior ao rendimento médio mensal de 50% da população com os menores rendimentos

Foto: Reprodução | Fonte: Agência Brasil

Uma pesquisa divulgada nesta quarta (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE), com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), revelou que em 2017 os ricos do país ganharam 36,1 vezes mais do que metade dos mais pobres.

De acordo com a pesquisa, este grupo 1% mais rico da população brasileira teve rendimento médio mensal de R$ 27.213 no ano passado. Em média, o valor representa 36,1 vezes mais do que metade do que receberam os mais pobres, cuja renda mensal foi de apenas R$ 754.

Em 2016, o grupo mais rico ganhava 36,3 vezes mais do que a média do rendimento de metade dos mais pobres. A pesquisa mostra que a massa de rendimento médio mensal real domiciliar, em 2017, foi de R$ 263,1 bilhões. Deste total, os 10% da população com os maiores rendimentos ficavam com 43,3% do total. Os 10% menores rendimentos detinham apenas 0,7% da renda.

No Sudeste, a concentração de renda foi ainda maior. Nesta região, está a maior parcela da população que reúne rendimento médio mensal real do grupo de 1% mais ricos. Esse grupo chegou a ter concentração 33,7 vezes superior ao rendimento médio mensal real de 50% da população com os menores rendimentos na região– em 2016 era de 36,3 vezes.


Mais do SFn