quinta-feira , 21 setembro 2017

RJ 158: a rodovia do medo

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 7
Fotos: Vinnicius Cremonez

O número de roubos, assaltos e tentativas de assaltos na RJ 158, estão aumentando a cada dia. Antes os usuários da rodovia tinham medo do alto índice de acidentes, mas de um tempo pra cá, o medo mudou.

A rodovia estadual começa no município de Campos dos Goytacazes e passa por São Fidélis, no Norte Fluminense, só termina em Itaocara, no Noroeste Fluminense do Estado do Rio de Janeiro.

A 158 se tornou a estrada do medo, devido ao alto número de registros de crimes praticados na rodovia, principalmente durante a noite e a madrugada.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 1O trecho onde os casos acontecem com mais frequência, fica entre São Fidélis e Campos, trecho mais movimentado da rodovia, por onde passam centenas de caminhões, carretas, ônibus e carros por dia, inclusive ônibus com estudantes, que podem virar as próximas vítimas se nada for feito.

Entre Campos e São Fidélis, são 48 km de aflição, preocupação e medo de não saber o que vai acontecer durante a viagem.

Nos últimos registros feitos em delegacias de Campos e São Fidélis, pode se perceber que os criminosos agem sempre da mesma forma, e levam as vítimas e os veículos roubados para o mesmo local.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 4Na maioria dos registros, os criminosos estavam em dois carros, sendo um preto e um outro prata, mas que as vítimas no momento de desespero, não conseguiram identificar o modelo do veículo.

Os elementos emparelham um dos carros ao lado do veículo da vítima, e pede para ela encostar. Nesse tempo, um elemento conduz a vítima para um carro e uma outra pessoa assume a direção do veículo da vítima.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 9Ambos são levados para a localidade de Rio Preto, que fica na região rural de Campos e faz divisa com áreas de São Fidélis, como o Rio do Colégio, onde os criminosos também já fizeram vítimas.

Os criminosos montam emboscadas na maioria das vezes no mesmo lugar, no trecho entre a passagem de nível da linha férrea(Antes da chegada de Itereré) até a fábrica de sucos, passando pela entrada de Rio de Preto. Nesse trecho fica o DEGASSE, presídio para menores infratores.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 13Para fechar a rodovia, os bandidos usam pedaços de madeiras, galhos e pedras grandes (Foto), que ficam ao lado da rodovia em frente a um bar, entre a entrada de Rio Preto e o DEGASSE. O bar fica logo depois de uma curva, ou seja, os usuários da rodovia acabam dando de cara com o bloqueio, e sem saber o que fazer, acabam parando o veículo e se tornando vítimas dos criminosos.

hfewif´wk´fokpNossa equipe percorreu os 48 km entre São Fidélis e Campos, e encontramos duas viaturas ao longo da estrada. Paramos próximo ao bar onde é feito o bloqueio, mas ficamos de longe para a nossa segurança, pois encontramos alguns homens dentro do estabelecimento.

Em uma placa na frente do bar, encontramos um desenho que faz lembrar uma arma(Foto). São mais de sete pedras grandes colocadas em frente ao bar, e a noite, são usadas pelos criminosos para fecharem a estrada.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 14É possível ver várias pedras, e pedras grandes, que muitos carros não conseguiriam passar entre elas, mas algumas pessoas contam com a sorte. Entrevistamos duas pessoas que contaram com a sorte, mas que viveram momentos de desespero e medo.

Na madrugada de sábado(08) para domingo(09), fidelenses que passaram pela rodovia, viveram momentos de medo e desespero. O colunista do Jornal Folha da Cidade, Héverton Quintes, foi uma dessas pessoas.

Por volta de 1h30, Héverton e seu irmão estavam voltando da cobertura de uma festa na praia de Santa Clara quando avistaram algo na rodovia que parecia ser uma árvore caída, mas ao aproximarem do local, viram que se tratava de um bloqueio com pedras e galhos.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 3Os criminosos deixaram um pedaço de aproximadamente um metro livre, e numa atitude rápida de tentar sair do local, o irmão do colunista que estava no controle da direção, jogou o carro para o mato e passou entre o espaço e o mato. Após passar pelo bloqueio, encontraram dois carros parados no acostamento, mas o farol refletiu no vidro do veículo e não conseguiram ver ninguém dentro dos carros.

“Foi um susto grande. Se não tivesse o espaço ou se onde passamos fosse um barranco, teríamos que parar ou tentar passar por cima. Eu acredito que só não nos seguiram, por ser um carro do jornal”. disse o colunista.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 15A cabelereira Aline Durso não teve a mesma sorte. Ela e sua família foram perseguidos pelos criminosos. Aline estava voltando de uma festa da família em Rio das Ostras em dois carros. Em um veículo, estava ela, seu marido e seus dois filhos, sendo um de sete anos e o outro de um anos e oito meses. No outro carro estavam seu irmão, sua mãe e dois tios.

Por volta de 2h da madrugada, Aline e seu marido deram de frente com o bloqueio após uma curva. Aline entrou  em desespero e começou a gritar. Antes de fazer a curva, um senhor com duas crianças estavam no acostamento. Aline acredita que seja uma forma de tirar a atenção dos motoristas.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 10Para não bater nas pedras, o marido de Aline jogou o veiculo para o lado e conseguiu passar entre duas pedras e ligou o pisca alerta para avisar o irmão de Aline que vinha no outro veículo e que também conseguiu passar, mas o seu carro acabou batendo em uma pedra e quase tombou. Logo na frente, um carro saiu de uma porteira e começou a persegui-los.

Aline contou que o seu irmão e o marido, emparelharam os carros na reta e abaixaram os vidros para se falarem, e decidiram passar juntos no trecho da fábrica de sucos. Aline também disse a nossa equipe que olhou para o velocímetro e estava marcado 170 km/h.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 11“Meu marido disse que se tivesse outro bloqueio na fábrica de sucos, ele iria passar na contramão. Eu quase morri, porque poderia vim outro carro”. disse Aline.

“O meu filho está assustado. Não quer andar sozinho. Fala que tem muito bandido e que bandido vai pegar ele”. concluiu Aline.

RJ 158 FOTO VINNICIUS CREMONEZ 5Sua mãe machucou a cabeça quando o carro do irmão quase capotou e o protetor do motos do seu carro quebrou na hora, um risco a mais caso algum galho ficasse preso.

Os casos citados acima aconteceram no mesmo dia e no mesmo local, em frente a um bar que depois de uma curva próximo a entrada de Rio Preto e Itereré. O trecho fica logo depois do presídio de menores infratores.

yudgeqifohiwaOs criminosos também atuam em outros pontos. Na quinta-feira (13), um caminhão que transporta cerveja da distribuidora Ambev, foi assaltado por volta das 19h30 da noite, próximo a localidade de Ernesto Machado em São Fidélis.

O caminhão foi abordado por três homens armados em um carro não identificado. O carro emparelhou ao lado do caminhão e os criminosos pediram para que o motorista encostasse o veículo. Os criminosos levaram o caminhão e as vítimas para Rio Preto(Reveja a matéria aqui).

Carro da Polícia Militar foto Vinnicius Cremonez 3Na terça-feira(11), dois homens foram presos em Lagoa de Cima e outro no Jóquei, em uma ação da Polícia Civil e apoio de policiais do Batalhão de polícia Rodoviária da polícia Militar (BPRv), em Campos. O objetivo era o cumprimento de dois mandados de prisão para dois suspeitos de integrar uma quadrilha de roubo de carros da região e em Mimoso do sul, no Espírito Santo.

Segundo a polícia, os dois podem ser da quadrilha que vem atuando na RJ 158(Reveja a matéria aqui). Nossa equipe conversou com exclusividade com o novo comandante da 4º Companhia de Polícia Militar de São Fidélis, o Tenente Sudário. Estaremos publicando a entrevista em breve.

 

 

 


Mais do SFn

SFn