quinta-feira , 27 fevereiro 2020
Imagem: China Daily

RJ não tem casos suspeitos de coronavírus, afirma Secretaria de Estado de Saúde Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil tem 12 casos suspeitos do novo coronavírus; Na China são mais de 250 mortos e mais de 11 mil infectados

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil tem 12 casos suspeitos do novo coronavírus; Na China são mais de 250 mortos e mais de 11 mil infectados

Foto: Reprodução

O novo vírus, que colocou o mundo em alerta e já tem 12 casos suspeitos no Brasil, até o momento, não chegou ao Estado do Rio de Janeiro, conforme afirma a Secretaria de Estado de Saúde. De acordo com a pasta, todos os registros suspeitos do Coronavírus foram descartados pela equipe técnica da Vigilância em Saúde da secretaria por não apresentarem os critérios clínicos preconizados pelo Ministério da Saúde. Para o secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, o mais importante nesse momento é tranquilizar a população. “Não há nenhum caso de coronavírus confirmado no Brasil. Importante dizer que o laboratório de referência é o nosso, estadual, que é o Lacen, e todos os casos têm sido acompanhados em conjunto por um grupo de trabalho formado pela Secretaria de Saúde e a Fiocruz. Assim que tivermos novas notícias, informaremos. A população pode ficar tranquila, pois não nos omitiremos em falar a verdade no momento que começarmos a ter qualquer possibilidade de o vírus circular em nosso meio” – afirmou.

A Secretaria de Saúde esclarece ainda que investiga a situação de todos os passageiros que chegam da China com sintomas e sinais de doenças respiratórias. A medida tem o objetivo de bloquear a entrada do novo vírus em território fluminense. Até o momento, não há nenhum caso suspeito sendo investigado pelas equipes médicas e técnicas da secretaria. De acordo com o médico da secretaria, Alexandre Chieppe, autoridades públicas devem ser notificadas imediatamente, sejam elas municipal, estadual ou federal diante da chegada no estado de qualquer pessoa vinda da China com febre e sintomas de doenças respiratórias. A partir daí, o caso passa a ser tratado como suspeito. A partir da identificação do caso, é feito o monitoramento das pessoas que tiveram contato com a possível vítima, além da avaliação clínica e laboratorial do paciente. “É coletado o exame, que é levado para o Laboratório Central (Lacen) da Secretaria de Saúde e para a Fiocruz. São pesquisados todos os vírus respiratórios, inclusive o coronavírus” – explicou. Desde o início da epidemia na China, mais de 11.800 chineses foram infectados pelo coronavírus 2019 n-CoV e 259 pessoas morreram.

Mais do SFn