terça-feira , 20 novembro 2018

Rodovias intransitáveis! Falta manutenção, sinalização e segurança Ambas estão abandonadas pelo poder público e não recebem manutenções há anos

Ambas estão abandonadas pelo poder público e não recebem manutenções há anos

Motoristas do Norte e do Noroeste Fluminense não sabem mais o que fazer para não ter prejuízo com os veículos ao transitarem pelas rodovias que ligam as duas regiões. Se por um lado a RJ-158 está cheia de buracos, a RJ-192 parece estar pior. Recentemente, o DER fez uma operação tapa-buracos, mas isso não adianta. Todos os dias surgem novos problemas e a situação está se agravando a cada dia que passa.

Ligando os municípios de São Fidélis e Itaocara, passando por Cambiasca, a RJ-192 possui 27,3 quilômetros de muitos problemas. Do trevo de Dois Rios até o trevo dentro de Itaocara o motorista vai percorrer 39,8 quilômetros passando pela RJ-192. O trecho entre Dois Rios e Ponto de Pergunta (27.3 KM) apresenta sérios problemas de infraestrutura. A rodovia não tem sinalização e acostamento.

Esse trecho, principalmente entre Colônia e Cambiasca, foi considerado um dos piores do estado nos últimos anos por estudos feitos pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Em 2013, o Departamento de Estradas e Rodagens (DER-RJ) em São Fidélis, que é responsável pela estrada e por outras rodovias do Norte e Noroeste Fluminense, informou que um projeto de terraplanagem, drenagem, recuperação e alargamento da RJ-192 estaria em fase de conclusão, mas até hoje, nada foi feito.

Em dia de chuva, a situação se agrava. Em vários pontos, a lama invade a pista, pois não há um sistema de escoamento. Por diversas vezes, cansados de esperar por uma solução do poder público, moradores usaram barro para tapar os buracos, mas essa solução não dura muito tempo.

Outra rodovia da região que também está abandonada é a RJ-158, no trecho entre Cambuci e Itaocara. A rodovia passou a ser muito usada por motoristas que queriam evitar a RJ-192, mas a situação por lá também piorou. Do trevo de Dois Rios até o trevo de Itaocara, passando por Cambuci, são 35,8 quilômetros. Os buracos começam na RJ-194, entre Pureza e Cambuci, e prosseguem pela RJ-158 até o trevo de Itaocara.

Em dezembro do ano passado a RJ-158 chegou a ser fechada em Itaocara. Os manifestantes reivindicavam o recapeamento da rodovia. Além dos diversos buracos, como se a pista tivesse sido bombardeada, o que causa muitos prejuízos aos motoristas e motociclistas, falta ainda sinalização e acostamento.

Em dois pontos a estrada apresenta uma diferença no asfalto, pois de um lado, existe uma camada que podemos chamar de “nova”, sem nenhum buraco, já do outro lado, podemos chamar de faixa de gaza, como se a pista tivesse sido bombardeada. Carros, caminhões e ônibus que passam pela rodovia todos os dias, acabam trafegando pela contramão para fugir dos buracos, e evitar que o veículo quebre no meio do caminho, devido à falta de segurança.

As duas rodovias não recebem manutenção há anos, apenas um serviço paliativo de tapa-buracos, que só faz piorar a situação das vias. O mato alto em determinados trechos tapa as poucas placas de sinalização que existem. E aí motorista, qual é a pior para você?


Mais do SFn