sexta-feira , 18 outubro 2019

Roteirizada e ilustrada por fidelenses, HQ homenageia São Fidélis e terá 2º capítulo lançado neste mês Na história em quadrinhos 'O Pistoleiro' leitores encontram diversas referências à "Cidade Poema", além de muita ação

Na história em quadrinhos 'O Pistoleiro' leitores encontram diversas referências à "Cidade Poema", além de muita ação

Fotos: Arquivo Pessoal

A cada dia, o município de São Fidélis revela novos talentos. Seja na arte, literatura, dança, na música ou no esporte. Agora a cidade também está sendo representada no mundo dos quadrinhos, e é claro, por dois jovens fidelenses. Fruto de uma amizade de longa data, surge a HQ ‘O Pistoleiro’. Carlos Henrique de Souza Júnior, de 25 anos, é responsável pela ilustração. Já José Manoel Júnior, de 26, desenvolve a história e características dos personagens.

“No momento em que decidimos começar a produção eu estava com algumas economias guardadas o que me permitiu ajudar a custear a impressão da HQ, mas infelizmente sem um emprego estável, apenas fazendo alguns trabalhos como ilustrador freelancer, o que me disponibilizava tempo para desenhar a HQ. Conheço o José há mais de uma década, na nossa adolescência produzimos algumas histórias que tem grande influência no que fazemos hoje, como o próprio pistoleiro que surgiu de um personagem secundário de uma das histórias que criamos, infelizmente não tínhamos a maturidade que temos hoje para levar o projeto a diante e torná-lo algo mais concreto. Tudo isso somado ao fato que compartilhamos muitos gostos semelhantes, isso ajuda bastante na sintonia para produzirmos” – conta Carlos Henrique.

José Manoel também ressalta os gostos semelhantes com o amigo, e conta que se baseiam em uma frase de Ariano Suassuna: “O sonho é que leva a gente para a frente. Se a gente for seguir a razão, fica aquietado, acomodado”. Os dois afirmam que o gosto pelo gênero veio naturalmente, através dos videogames, livros de fantasia e desenhos animados. “Além de minha predisposição a gostar do gênero, fui muito incentivado desde cedo a ler e escrever por minha falecida avó Zilda Sóta. Costumo dizer que ela é a culpada por isso (risos)”. – relata o roteirista.

Sobre a homenagem a “Cidade Poema” eles dizem que se deve ao fato de terem nascido e crescido em terras fidelenses. “Vários pontos da cidade como a própria Igreja Matriz e vários de nossos conhecidos e amigos mais próximos tendem a aparecer na história. Ao ponto que a história de “O Pistoleiro” se passa na cidade de “San Fidélis”, porém essa fica no México. As referências da cidade serão reconhecidas, mas estando em outro país e sendo uma cidade fictícia podemos explorar bem diversos elementos” – declara o ilustrador.

O nome da cidade, a Igreja Matriz e também, o jornal. A referência do nome “San Fidélis Notícias”, da cidade fictícia, foi de propósito, afirma Carlos Henrique. “Quando a apareceu a oportunidade nós pensamos “vai ser esse!””- relata. Mas, a José Manoel alerta. A cidade San Fidélis não é tão pacífica quanto a sua inspiração.

Na HQ “O Pistoleiro” Juarez Vásquez é um ex-agente de um programa secreto do governo mexicano que foi transformado em uma máquina de matar. Cansado de trabalhar para eles, o pistoleiro abandona o programa e passa a viver como um mercenário em uma cidade tomada pelo crime. Após muitos anos, seu passado veio te buscar e ele terá de lutar para sobreviver e proteger as pessoas com quem criou importantes laços. O primeiro capítulo está disponível no site PA Comics AQUI , mas também dá para adquirir a versão impressa diretamente com os jovens. O segundo capítulo dessa história repleta de ação será lançado no próximo dia 23, como informou com exclusividade o roteirista.

Em maio, eles participaram da NitComics, maior mostra de quadrinhos do Rio de Janeiro. Carlos Henrique conta que os organizadores os encontraram pelas redes sociais e fizeram o convite, o que para eles foi muito gratificante, “Dá a sensação de reconhecimento” – afirma.

Esse foi o primeiro evento da dupla, e que segundo José Manoel foi uma experiência sem igual. “Nosso primeiro evento, pudemos trocar experiências com outros quadrinistas, apresentar nosso trabalho para um público muito receptivo e animado, foi com certeza uma experiência memorável. Já fomos convidados para estar presentes no NitComics 2020 e, com certeza, estaremos lá levando mais uma vez nossas histórias e um pouco da cultura fidelense para a galera” – disse.

“Aprendemos muito, tivemos contato com muitas pessoas que estão nos dando muito apoio. Nem sei como me expressar, mas mudamos muito a nossa forma de raciocínio e como podemos tocar a PA Comics daqui pra frente. E já confirmamos a nossa participação no próximo!” – finaliza Carlos Henrique.

Mais do SFn