segunda-feira , 20 janeiro 2020

S. Fidélis, Itaocara, Pádua, Cordeiro e Friburgo receberão mais de R$500 mil para cadastrar moradores no SUS Incentivo financeiro deve ser usado por secretários municipais de saúde para registro de mais pessoas nos serviços da Atenção Primária; Serão R$ 8,9 mil para cada uma das cerca de 45 mil Equipes de Saúde da Família (ESF) em todo Brasil

Incentivo financeiro deve ser usado por secretários municipais de saúde para registro de mais pessoas nos serviços da Atenção Primária; Serão R$ 8,9 mil para cada uma das cerca de 45 mil Equipes de Saúde da Família (ESF) em todo Brasil

Fotos: SF Notícias

Para estimular os municípios a cadastrarem e incluírem mais brasileiros no SUS, o Governo vai repassar ainda neste ano R$ 401 milhões a todas as cidades brasileiras. A portaria que autoriza os recursos foi publicada nesta quinta-feira (12) no Diário Oficial da União. Segundo o Ministério da Saúde, serão R$ 8,9 mil para cada uma das cerca de 45 mil Equipes de Saúde da Família (ESF), formadas por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e Agentes Comunitários de Saúde que atendem a população nos serviços de saúde da Atenção Primária – área que cuida dos problemas mais frequentes de saúde dos brasileiros, como diabetes e hipertensão, através de consultas médicas, exames e vacinação. A iniciativa faz parte do programa “Previne Brasil”, lançado no mês passado pelo presidente Jair Bolsonaro, e ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e que traz uma nova proposta de financiamento da Atenção Primária. Agora, consultas médicas e exames garantirão mais recursos federais. Dessa forma, os serviços de saúde que acompanharem o dia a dia da saúde das pessoas, com consultas regulares e exames, prevenindo doenças ou evitando complicações, serão recompensados. (Continua após a publicidade)

Um dos novos critérios de financiamento do Governo aos municípios leva em consideração o número de pessoas cadastradas nos serviços de Saúde para definir o valor de recursos a ser repassado às secretarias de saúde municipais. Ou seja, quanto mais pacientes acompanhados, mais recursos para os municípios. O objetivo é incluir mais 50 milhões de brasileiros no SUS, com acompanhamento regular da saúde. No Norte Fluminense, São Fidélis que conta com sete ESF vai receber R$ 62.494,39; Campos tem 24 e receberá R$ 214.266,48; Cardoso Moreira conta com cinco e receberá R$ 44.638,85; Já Macaé (29 ESF) vai receber R$ 258.905,33. No Noroeste, Aperibé receberá R$ 35.711,08; Cambuci R$ 44.638,85; Italva R$ 35.711,08; Itaperuna R$ 169.627,63; Itaocara R$ 62.494,39; Miracema R$ 71.422,16 e Pádua R$ 107.133,24.

Já na Região Serrana, Bom Jardim receberá R$ 62.494,39; Cantagalo R$ 71.422,16; Cordeiro R$ 53.566,62; Friburgo R$ 223.194,25; Macuco e São Sebastião do Alto R$ 26.783,31; e Santa Maria Madalena R$ 8.927,77. Veja outras cidades AQUI. Atualmente, cerca de 90 milhões de pessoas estão cadastradas nos serviços da Atenção Primária. A meta, a partir do cadastramento da população, é chegar a cerca de 140 milhões de pacientes vinculados à uma equipe de saúde. E, assim, aumentar o número de pessoas acompanhadas nos serviços de saúde, principalmente quem recebe benefícios sociais, crianças e idosos.

Mais do SFn