São Fidélis, Itaocara, Pádua, Cambuci e Cordeiro registraram mais de 2.600 raios no verão Já em Campos, Miracema, Madalena, Cantagalo e Trajano foram mais de 9 mil; Dados são do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT/INPE)

Já em Campos, Miracema, Madalena, Cantagalo e Trajano foram mais de 9 mil; Dados são do Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT/INPE)

Foto: SF Notícias

O verão 2019, apesar de não ter sido marcado por grandes volumes de chuva no interior do Rio, teve um grande registro de raios nuvem-solo (que atingem o chão), conforme dados do Grupo de Eletricidade Atmosférica/INPE. Muitas vezes, nuvens cumulonimbus, que provocam tempestades severas, se formaram pela região, contribuindo para o registro de descargas elétricas.

Em alguns municípios, como Aperibé, Campos, Cantagalo, Cardoso Moreira, Miracema, Pádua e Trajano de Moraes o número de raios neste verão foi maior que o registrado na mesma estação em 2018. Já Bom Jardim, Cambuci, Cordeiro, Duas Barras, Itaocara, Italva, Itaperuna, Macuco, Santa Maria Madalena, São Fidélis e São Sebastião do Alto caíram menos raios.

Fotos: SF Notícias

Apesar disso, os registros deste verão impressionam. Campos dos Goytacazes teve o maior número de raios, 5510; Em Trajano de Moraes foram 1565; Madalena registrou 1405; Cantagalo teve 1030 enquanto Itaperuna contabilizou 1020 raios. Em Pádua foram 715 e em São Fidélis 700; Bom Jardim somou 660 e Cardoso Moreira 595; Em São Sebastião do Alto caíram 575; Itaocara registrou 530 e Cambuci 500.

Já os municípios que registraram menos de 350 raios foram: Miracema (335); Duas Barras (280); Italva e Aperibé (170 cada); Cordeiro (165) e Macuco (100), ainda segundo o ELAT/INPE.


Mais do SFn