São Fidélis tem baixo risco para infestação do Aedes, garante Vigilância em Saúde Até hoje foram confirmados apenas 10 casos de chikungunya na cidade e foram realizadas várias ações de combate ao mosquito

Até hoje foram confirmados apenas 10 casos de chikungunya na cidade e foram realizadas várias ações de combate ao mosquito

Fotos: Divulgação/ Prefeitura

A Vigilância em Saúde de São Fidélis informou nesta segunda-feira (06/05) que o risco de infestação do Aedes Aegypti no município é baixo, graças a diversas ações promovidas desde o último Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti, o LIRAa.

No primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) realizado neste ano indicou que 994 municípios brasileiros apresentavam alto índice de infestação, com risco de surto para as doenças dengue, zika e chikungunya. Na região, nenhum município apresentou alto índice, entretanto algumas cidades apresentaram índices de alerta. Entre essas cidades estava São Fidélis.

Segundo a superintendente da pasta, Hítalla Valentim, a cidade saiu de um alto e médio risco no mês de agosto de 2018, com índice de 2,4, caindo em outubro para 1,6 e diminuindo para 1,2 fevereiro deste ano.

Desde fevereiro vêm sendo realizadas ações de combate ao mosquito como faxinaços em bairros e escolas, reuniões com secretarias de Saúde, Defesa Civil, Educação, Serviços Públicos e Urbanismo, e capacitação com Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e para Agentes de Combate às Endemias (ACE). 

A superintendente informou ainda que a situação atual do LIRAa do município deve sair em torno de 15 dias e que o número só tende a diminuir. Até hoje foram registrados apenas 10 casos de chikungunya na cidade.

Outra forma de combate às doenças transmitidas pelo Aedes é a distribuição de repelentes, feita pela farmácia do SUS, nos bairros onde o LIRAa teve o maior percentual comparado aos outros bairro, sendo eles o Barão de Macaúbas, Penha e Parque Tinola.


Mais do SFn