quarta-feira , 18 julho 2018

Seca: nível dos reservatórios da bacia do Rio Paraíba é pior dos últimos três anos Baixo índice de chuva no inverno e transposição de água para o sistema Cantareira influenciam diretamente nos níveis abaixo da média

Baixo índice de chuva no inverno e transposição de água para o sistema Cantareira influenciam diretamente nos níveis abaixo da média

Foto: Diário do Vale

O Rio Paraíba do Sul continua sendo prejudicado pela seca. Um levantamento do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apontou que o nível dos reservatórios da bacia do rio é o pior dos últimos três anos.

Segundo informações do G1 Sul, somando os cinco reservatórios, o nível médio de ocupação é de 47,18%. O Funil, em Itatiaia, (foto ao lado) está com 44,16% da capacidade. Em 2017, o nível total era de 61,82% e o Funil operava com 29,73% da capacidade. Já em 2016, a ocupação total das barragens era de 52,6% e o Funil estava com 99,6% de capacidade.

Além dos reservatórios, o nível abaixo da média também é afetado por outros dois fatores, o baixo índice de chuva no inverno e a transposição de água para o sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento da região metropolitana de São Paulo. A falta d’água pode afetar não só o sul do RJ, mas milhões de moradores do estado.

No ano passado, vários municípios da região decretaram situação de emergência por conta da estiagem. Entre julho e novembro de 2017, São Fidélis registrou apenas 42.07 mm de chuva, um volume bem abaixo da média para o período que é de 153,39 mm.

Ainda em 2017, o baixo nível dos rios Paraíba do Sul, Macuquinho, Pomba, Muriaé, Carangola e Itabapoana, levou a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) a reduzir o abastecimento de água em Miracema, Varre-Sai, Macaé e Porciúncula, além de CantagaloCordeiro e Duas Barras.


Mais do SFn