sexta-feira , 18 outubro 2019

Secretário de segurança pública de R. das Ostras é alvo de operação que investiga homicídios em Macaé Segundo o Ministério Público, ele é um dos acusados pela morte de três pessoas, e seria um dos autores do disparos efetuados contra o carro em que as vítimas estavam, na RJ-168

Segundo o Ministério Público, ele é um dos acusados pela morte de três pessoas, e seria um dos autores do disparos efetuados contra o carro em que as vítimas estavam, na RJ-168

O secretário de Segurança Pública de Rio das Ostras, Paulo Fernando Carvalho Gomes, o “Carvalhão”, é alvo de uma operação deflagrada na manhã desta terça-feira (09/07) pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), com o apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ) e em parceria com a Corregedoria-Geral da Polícia Militar. O objetivo da operação é o cumprimento de mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao secretário e a um homem identificado como Rodrigo Gil, o “Rodrigo Aranha”. Segundo o Ministério Público, ambos são acusados pelas mortes de três pessoas, ocorridas em 2010.

De acordo com a denúncia, encaminhada pelo GAECO/MPRJ à 1ª Vara Criminal da Comarca de Macaé, os crimes teriam ocorrido no dia 16 de março de 2010, por volta das 14h30, na rodovia RJ-168, na altura da Fazenda Pau Ferro, em Macaé. Na ocasião, “Carvalhão” e “Rodrigo Aranha” efetuaram disparos de armas de fogo contra o carro onde se encontravam João Gomes Salles Filho, Sérgio José de Souza Borges Barbosa e Oscar de Oliveira Souza, causando as mortes dos mesmos. Além dos três, Marlene Eliete dos Santos, que estava junto ao grupo, também foi alvo dos tiros mas, por ter se protegido dos disparos abaixando-se no assoalho do veículo, não veio a falecer.

Pelo fato de os crimes terem sido cometidos por meio cruel e mediante emboscada, já que o trajeto realizado pelas vítimas era conhecido pelos denunciados, que as aguardaram em local de pouca circulação e com facilidade para a fuga, o MPRJ denunciou “Carvalhão” e “Rodrigo Aranha” por homicídio triplamente qualificado, com pena prevista de reclusão de 12 a 30 anos para cada crime..

Mais do SFn